Destaques da edição 969

PorExpresso das Ilhas,24 jun 2020 0:02

Nesta edição, o Expresso das Ilhas destaca o grande ponto de interrogação à volta do regresso do turismo. Mais de três meses depois do fecho do país por causa da pandemia da Covid-19 ainda são muitas as incertezas.

A Tuí já pôs Cabo Verde na lista dos voos que pretende retomar do aeroporto de Birmingham, na Inglaterra, num total de 22 destinos, mas não anunciou nenhuma data. Fonte dos operadores que estão em Cabo Verde disse ao Expresso das Ilhas que o regresso do turismo só acontecerá mais para o final do ano, mas com poucas certezas. Victor Fidalgo, consultor na área do turismo, desaconselha soluções como a do “corredor de segurança” que começa a ser testada na Europa.

Já o ministro do turismo diz: Hoje o turista só viaja se confiar no sistema de saúde do destino. No Sal, neste momento, o ministro que tutela a pasta do turismo está a supervisionar o programa de segurança sanitária que o governo já tem no terreno. Assumindo que o aumento dos infectados no arquipélago terá efeito junto dos turistas e dos operadores, Carlos Santos apela à responsabilidade colectiva, principal maneira de fazer regressar os visitantes estrangeiros.

Hélio Varela, um dos criadores do ‘NasNosMon’: Aplicação será eficaz se houver uma adesão em massa. Estes tempos de COVID-19 são, sem dúvida, tempos de crise e dificuldades várias. Mas são também tempos com espaços abertos para a inovação. Um grupo de cidadãos juntou-se e, usando as novas tecnologias, criou um aplicativo que permite o rastreamento de casos da doença em tempo real via telemóvel. Hélio Varela, um dos criadores da aplicação ‘NasNosMon’ explica como tudo funciona e qual o objectivo deste software que vai estar ao alcance de cada um de nós.

Ainda os efeitos da pandemia: Creches afectadas financeiramente. Depois de meses encerradas devido à pandemia da COVID-19, algumas creches já estão a reabrir, enquanto outras estão a preparar o processo de reabertura. Entretanto, para todas há agora novas regras de higienização dos espaços e distanciamento social para tentar minimizar as probabilidades de contágio do novo coronavírus. Tudo isto acarreta custos que, juntamente com a redução do número de crianças, as afecta financeiramente.

Também sobre a Covid-19: Cabo Verde à porta dos mil casos. Desde que foi diagnosticado o primeiro caso de COVID-19 em Cabo Verde, um turista inglês de 62 anos que foi também a primeira vítima mortal da doença no país, Cabo Verde já registou 984 casos.

Deficientes visuais e covid-19: “Sem as mãos não somos nada”. A covid-19 obrigou a uma mudança de hábitos, com o distanciamento social a ser recomendado pelas autoridades, como forma de travar a propagação do vírus. Mas não estamos todos no ‘mesmo barco’. Para os deficientes visuais, o uso de máscara e a necessidade de evitar o contacto significam a supressão de sentidos com os quais mitigam a falta de visão.

Parlamento discute, esta quarta, as medidas de emergência. O Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva no debate sobre as políticas adoptadas durante o Estado de Emergência e para explicar que medidas vão ser tomadas para ajudar o país a ‘navegar’ a crise que se vive.

No interior, a opinião de Eurídice Monteiro, Quando todo o mundo virou mestiço.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,24 jun 2020 0:02

Editado porDulcina Mendes  em  24 nov 2020 23:20

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.