​Ministério Público detém mulher no âmbito do caso Fundo do Ambiente

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,7 jun 2018 9:41

O Ministério Público ordenou a detenção, fora de flagrante delito, de uma mulher, de 42 anos de idade, no âmbito das investigações de alegadas ilegalidades na gestão do Fundo nacional do Ambiente. A arguida é acusada da prática dos crimes de furto qualificado e falsificações.

A informação foi avançada em comunicado, datado de 6 de Junho, publicado na página oficial da Procuradora-Geral da República (PGR). No documento, a PGR não menciona o nome da detida, dizendo apenas que se trata de um indivíduo identificado, de sexo feminino, residente no concelho do Tarrafal de Santiago e presidente de uma das associações do financiamento do referido fundo.

“Em causa estão factos susceptíveis, por ora, integram a prática dos crimes de furto qualificado e falsificações”, lê-se no documento.

Submetida a primeiro interrogatório judicial, a arguida ficou sujeita as medidas de coacção pessoal de termo de identidade e residência, apresentação periódica às autoridades, interdição de saída do país e proibição de contacto com as testemunhas.

O Ministério Público afirma que o processo, cuja investigação encontra-se em fase bastante avançada, continua em segredo de justiça.

O processo de Fundo de Ambiente está a ser investigado pelo Ministério Público, desde Agosto de 2015, por alegadas irregularidades na atribuição das verbas a organizações não-governamentais, por parte do ministério do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território do Governo do PAICV.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,7 jun 2018 9:41

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.