"Não nos podemos dar por satisfeitos, não podemos ficar tranquilos" - Presidente da CNHDC

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,10 dez 2018 15:43

Presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos, Zaida Morais
Presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos, Zaida Morais(Radio Morabeza)

Extrema pobreza, grupos vulneráveis com os seus direitos violados. Retrato de um Cabo Verde também actual, feito pela presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos (CNHDC), em declarações aos jornalistas, esta manhã, à margem da conferência “A Declaração Universal dos Direitos Humanos: Que desafios nos dias de hoje”, em comemoração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos, que se assinala hoje.

Zaida Morais exemplifica com casos de doentes mentais a deambular pelas ruas, mas também com a prevalência de crimes de VBG, entre outros, e diz que o país não pode ficar satisfeito.

"Confrontamo-nos todos os dias com meninos a viverem na rua, pessoas sem uma habitação condigna, pessoas sem acesso a água, necessidades básicas que ainda não são satisfeitas para todos os cabo-verdiano.  Temos grupos mais vulneráveis, com os seus direitos ainda violados todos os dias, crianças vitimas de violência sexual, mulheres vitimas de VBG, doentes mentais a deambularem pela rua, jovens quadros formados, ainda numa situação de desemprego. Não nos podemos dar por satisfeitos, nós não podemos ficar tranquilos", explica.

A cerimónia de abertura da conferência foi presidida pela ministra da Justiça e Trabalho. Janine Lélis destacou algumas medidas que o Governo vai implementar.

“A nível de habitação, prevemos para 2019 proceder à bonificação de rendas para a classe social A do antigo programa Casa Para Todos. Vamos continuar a fazer investimentos na reabilitação de casas das famílias mais pobres, em parceria com os municípios. Com estas medidas, o governo confirma que os desafios vêm sendo encarados de frente e que medidas de políticas estão sendo implementadas para o reforço do bem-estar e da qualidade de vida dos cabo-verdianos”, avança.

A conferência “A Declaração Universal dos Direitos Humanos: que desafios nos dias de hoje” é proferida pela especialista do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Marie-Eve Boyer-Friedrich.

Ainda nas actividades de celebração do Dia Internacional dos Direitos Humanos e 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania realiza esta tarde, na Assembleia Nacional, uma gala, com showcase do artista Hilário Silva, com actuação das crianças da Associação Cabo-verdiana de Surdos, de Edyoung Lennon e da Escola de Dança Nicole.

No dia 10 de Dezembro de 1948, a Assembleia Geral da ONU adoptou e proclamou a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Em 1950, o dia 10 de Dezembro foi estabelecido pela ONU como Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,10 dez 2018 15:43

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  30 ago 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.