COVID-19: "Ninguém tem o direito de pôr em causa os ganhos de todos os cabo-verdianos"

PorAndre Amaral,4 mai 2020 19:14

45 dias depois de se ter registado o primeiro o primeiro caso de COVID-19 em Cabo Verde, o Director Nacional de Saúde fez um balanço da evolução do vírus no país e lançou um alerta: se as pessoas não cumprirem as regras o número de casos vai continuar a crescer.

Ao todo, já se registou no país um total de 175 casos tendo 37 já sido dados como recuperados, anunciou Artur Correia, Director Nacional de Saúde. Uma dezena destes casos foi anunciada hoje pelo Ministério da Saúde em comunicado.

Ora, deste total, 113 são casos positivos registados na capital o que motivou Artur Correia a reforçar, mais uma vez, o apelo ao cumprimento das regras de higiene pessoal de distanciamento social e de confinamento em casa.

"Já verificamos que na Praia, em São Vicente e em algumas outras ilhas há um certo desleixo no cumprimento quer do confinamento, quer no evitar de aglomeração de pessoas. Isto é reprovável. Vamos ter mais casos, eventualmente vamos ter mais mortes. Se as pessoas continuarem com esse comportamento, a situação poderá piorar e poderá sair do nosso controlo", apontou Artur Correia que acrescentou ainda que "tudo depende de nós, como cidadãos".

"A COVID-19 é uma doença que vai durar no mundo e em Cabo Verde. Temos de estar conscientes de que temos de cumprir a nossa parte para evitar que os serviços de saúde percam o controlo e evitar que o Serviço Nacional de Saúde seja invadido com casos e que a gestão dos casos se descontrole" .

O Director Nacional de Saúde garantiu que, até este momento, tem sido possível fazer "abrandar o número de casos, mas o Ministério da Saúde, sozinho, não consegue. Tem que haver uma grande colaboração da população, das forças policiais, da Protecção Civil, como têm feito até agora, mas a partir de hoje de forma redobrada temos de aumentar essa vigilância".

Apresentando dados concretos, Artur Correia mostrou que há casos em 18 bairros da capital sendo as situações mais graves vividas em Vila Nova Moinho e Achada Santo António.

image

"Ninguém tem o direito de por em causa os ganhos de todos os cabo-verdianos", criticou ainda Artur Correia.

Questionado, perante este comportamento que reprovou por parte dos habitantes da cidade da Praia, se alguma vez esteve em cima da mesa a possibilidade de se partir para a imunidade de grupo e se o Serviço Nacional de Saúde teria capacidade para dar resposta ao aumento exponencial de casos que iam surgir, o Director Nacional de Saúde defendeu que "ainda não está provado cientificamente por quanto tempo a imunidade à COVID-19 perdura e em que medida existe essa imunidade nas pessoas ou em grupo".

Não existindo dados concretos, Artur Correia reforçou que as autoridades de saúde nacionais não querem "de forma alguma que haja um aumento exponencial de casos". "Não queremos e estamos a evitar isso todos os dias. Nestes 45 dias o nosso trabalho tem sido fundamentalmente com esse foco, evitar que haja um aumento substancial de casos".

Assegurando que esse objectivo "tem sido conseguido", Artur Correia não deixou de avisar, uma outra vez que "se houver relaxamento por parte das populações não vamos conseguir".

"De um momento para o outro podemos perder o jogo se não adoptarmos as medidas e não formos cumpridores para evitar o contágio", acrescentou.

Artur Correia, durante a conferência de imprensa desta segunda-feira, anunciou que se vão iniciar, em breve, trabalhos de desinfecção das ruas da capital e explicou que este trabalho de desinfecção resulta de "um conjunto de de actividades que são feitas no terreno, a nível comunitário".

Essa desinfecção que, até ao momento, se fazia ao nível das casas e da vizinhança das casas "onde se registavam casas" agora vai ser feita também a nível das ruas e das comunidades utilizando lixívia "que é um produto que, também, inactiva o vírus".

Cabo Verde regista até este momento 175 casos, sendo 116 na ilha de Santiago (113 na Praia, dois em Tarrafal e um em São Domingos), 56 na Boa Vista e um em São Vicente. Dos 175 casos confirmados, há 37 recuperados e dois óbitos. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,4 mai 2020 19:14

Editado porSara Almeida  em  25 out 2020 23:20

pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.