Ministério Público acusa três arguidos da prática de vários crimes

PorDulcina Mendes,12 nov 2022 14:52

​O Ministério Público (MP) acusou esta sexta-feira, 11, um Inspector da Polícia Judiciária, um membro do Conselho Superior da Magistratura Judicial e um outro indivíduo da prática de vários crimes.

Em comunicado divulgado, o Ministério Público avançou que Correram termos, no Departamento Central de Ação Penal da Procuradoria-Geral da República, os autos de instrução registados na sequência da informação de serviço, dando conta de factos susceptíveis de indiciar a prática dos crimes de adesão e colaboração com associação criminosa para o tráfico de droga, lavagem de capitais, corrupção e extorsão, todos previstos e punidos pela lei penal cabo-verdiana.

A mesma fonte informou que realizadas todas as diligências que se revelaram úteis à descoberta da verdade material dos factos sob investigação, o Ministério Público determinou o encerramento da instrução, no dia 24 de Outubro de 2022, deduziu acusação e requereu julgamento em Processo Comum Ordinário, perante o Tribunal Coletivo, para efectivação da responsabilidade criminal de três arguidos, por estarem fortemente indiciados da prática de ilícitos criminais.

Ao arguido de 44 anos de idade, Inspector da Polícia Judiciária, foram imputadas a prática de um crime continuado de adesão, integração e colaboração com e em associação criminosa dedicada ao tráfico de produtos estupefacientes,um crime continuado de tráfico agravado de produtos estupefacientes, em concurso real e efectivo com os seguintes crimes: quatro crimes de extorsão agravados, sendo um deles na forma continuada, um crime de corrupção passiva e um crime de lavagem de capital agravado, todos previstos e punidos pela lei penal cabo-verdiana.

Ao arguido de 49 anos de idade, empresário e membro do Conselho Superior da Magistratura Judicial, foram imputadas, em autoria material, a prática de um crime de extorsão agravado em concurso real e efectivo com um crime continuado de lavagem de capitais, previstos e punidos pela legislação penal cabo-verdiana.

Ao arguido de 41 anos de idade, trabalhador, actualmente em prisão preventiva, foram imputadas, em autoria material, um crime de corrupção activa, em concurso real e efectivo com um crime de lavagem de capitais agravado, todos previstos e punidos pela legislação penal cabo-verdiana.

Concomitantemente, o Ministério Público promoveu a aplicação de medidas de coacção pessoal aos arguidos em liberdade

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,12 nov 2022 14:52

Editado porDulcina Mendes  em  26 nov 2022 20:20

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.