​PAICV acusa Governo de "desorientação" na política habitacional

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,28 fev 2018 16:20

Nilda Fernandes (no púlpito)
Nilda Fernandes (no púlpito)

A bancada parlamentar do PAICV acusa o Governo de desorientação e incoerência no que diz respeito ao sector da habitação. A acusação foi feita hoje, no Parlamento, numa interpelação ao executivo de Ulisses Correia e Silva, apresentada pela deputada Nilda Fernandes.

“Podíamos fazer aqui muitos questionamentos que colocam em evidência a incoerência e desorientação do MpD, nesta questão da política habitacional. Passados dois anos da tomada de posse do actual Governo, tudo o que temos é uma mão cheia de nada e a outra cheia de coisa nenhuma. Não se conhece ainda nem a visão, nem os objectivos, nem os eixos estratégicos do aludido grande programa de habitação e muito menos os resultados e ou metas”, considera.

O PAICV entende que, depois das últimas eleições, o Governo do Movimento para a Democracia (MpD) ficou com todas as condições para resolver o problema habitacional do país. Segundo Nilda Fernandes, tudo o que tem sido dito e feito gira em torno do projecto Casa Para Todos que, na óptica da deputada, contribui para a diminuição do défice habitacional.

“Não obstante a condenação e difamação, [o programa Casa Para Todos] efectivamente contribuiu para diminuir significativamente o défice habitacional no país e muito mais teria contribuído se não tivesse sido bloqueado pela actual maioria”, entende.

Em resposta, o Governo classifica de "calamitosa" a situação encontrada. A ministra das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, diz que as deficiências acumuladas são incompatíveis com soluções de curto prazo.

“Não obstante as várias denominações dadas pelo Governo anterior aos seus programas para o sector, designadamente a ‘operação esperança’ e o programa ‘Casa para Todos’, a situação encontrada por este Governo foi simplesmente calamitosa. Falando em particular do Casa Para Todos, deixou aos cabo-verdianos um passivo, quer a nível físico, que a nível financeiro, tendo-se encontrado as construções paradas a menos de 50% da sua realização e com 200 milhões de euros por pagar”, diz.

Quanto ao programa de habitação do actual executivo, Eunice Silva explica que é direccionado para as famílias e responde às necessidades do país.

“O programa de habitação deste Governo é direccionado para as famílias, com critérios devidamente definidos, responde às necessidades e às capacidades financeiras reais das famílias, mobilizador, liderado e concretizado pelos municípios”, garante.

De acordo com Eunice Silva, o programa prevê a bonificação de juros para jovens famílias, estimula o mercado de arrendamento, promovendo a aplicação das poupanças das famílias, promove a reabilitação das habitações existentes e contribui para a requalificação urbana dos bairros e o apoio aos mais carenciados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,28 fev 2018 16:20

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.