PAICV acusa Primeiro-ministro de cumplicidade com Olavo Correia

PorAndre Amaral,2 mar 2018 18:19

Julião Varela, secretário-geral do PAICV, disse hoje, em conferência de imprensa, que Ulisses Correia e Silva tem tido um "silêncio cúmplice" numa altura "em que o número dois no Governo e seu “homem de confiança”, Olavo Correia, está a ser acusado de promover o favorecimento de suas empresas e a praticar actos que indiciam, claramente, a corrupção".

"Todos os cabo-verdianos já deram conta de que muitas das medidas do Governo do MpD têm endereço certo, destinatário concreto e objectivos inconfessáveis", acusou hoje Julião Varela em conferência de imprensa.

Para o PAICV, a conferência de imprensa que o MpD deu hoje não foi mais do que "uma manobra de distracção em relação a indícios graves de corrupção, de falta de ética e de falta de transparência na gestão de negócios públicos" e acrescentou que os factos "indiciam, claramente, que o Vice-Primeiro- Ministro Olavo Correia, poderá, eventualmente, estar a utilizar os recursos do Estado para beneficiar uma Empresa à qual tenha interesses (sic), numa clara falta de ética e de pudor exigidos aos Titulares de Cargos Políticos".

Assim, prosseguiu Julião Varela, num "país sério, como o nosso e perante todas essas evidências, o Vice- Primeiro-Ministro já teria tirado as consequências, sob pena duma intervenção do Primeiro-Ministro de Cabo Verde, enquanto responsável máximo da Governação", dando a entender que Olavo Correia já se devia ter demitido ou que o Primeiro-ministro devia retirar o ministro das Finanças da equipa governamental.

Questionado sobre se o PAICV poderá pedir o levantamento da imunidade a Olavo Correia caso as investigações do Ministério Público assim o justifiquem, o secretário-geral do PAICV, disse que o seu partido confia que o ministro das Finanças "terá a hombridade de o fazer. Se não o fizer aí sim, seremos nós a pedir".

Quanto ao silêncio do Primeiro-ministro, Julião Varela acusou Ulisses Correia e Silva de ficar "mudo e calado, como cúmplice dessa acção despudorada".

"Enquanto toda a sociedade manifesta a sua indignação e o seu repúdio, pela actuação intransparente do Vice-Primeiro- Ministro, o Primeiro-Ministro esconde-se e, mais uma vez, demonstra a sua falta de coragem e o seu desrespeito pelos cabo-verdianos", reforçou ainda Julião Varela.

Abordado pelo Expresso das Ilhas à saída do Parlamento, onde hoje esteve presente, Olavo Correia não quis prestar declarações.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,2 mar 2018 18:19

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  14 nov 2018 3:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.