Emanuel Barbosa nega alegações de Moisés Borges

PorAndre Amaral,9 nov 2018 17:04

2

"Um acto ignóbil, uma agressão perpetrada pelo deputado Moisés Borges", é assim que Emanuel Barbosa reage aos acontecimentos da manhã de hoje em que, diz, foi agredido pelo deputado do PAICV e contra quem, garante, já ter apresentado queixa na Polícia Judiciária.

"Ao contrário do que ele tenta fazer crer de que foi uma briga, foi, de facto, uma agressão covarde perpetrada pelas costas", acrescentou ainda o deputado do MpD.

Segundo Emanuel Barbosa "existe um histórico relativamente a esta matéria" que envolve o deputado Moisés Borges. "Dentro do grupo parlamentar do MpD não sou o único que tem sido alvo de ameaças e tentativas de agressão" por parte daquele deputado. E Barbosa garante que também Miguel Monteiro, Luís Carlos Silva e José Soares também "já foram alvo de ameaças e tentativas de agressão" por Moisés Borges.

A explicação para os acontecimentos desta manhã está, segundo explicou Emanuel Barbosa em conferência de imprensa, porque "Moisés Borges não consegue ter capacidade de encaixe para debater questões relacionadas com o Fundo do Ambiente.

"Quero aqui deixar claro que este acto não vai me condicionar no meu trabalho, porque o que tenho feito é defender os interesses dos cabo-verdianos".

O deputado do MpD contrariou as alegações de Moisés Borges que disse ter respondido a um ataque. "Compreendo a versão do deputado mas existe um histórico, há três deputados do MpD que foram alvo de ameaças", disse Emanuel Barbosa que garantiu que da sua parte não houve qualquer tipo de provocação da sua parte. "Zero de provocação, vinha a descer as escadas para ir tomar parte nos trabalhos da 4ª Comissão quando me cruzei com o deputado. Quando ele passou por mim, pelas costas perpetrou a agressão que é do conhecimento público", relatou.

No Hospital Agostinho Neto, para onde se dirigiu para receber assistência, Emanuel Barbosa foi informado pelo médico "que o corte foi consequência de um objecto cortante" que obrigou a que o deputado fosse suturado com dois pontos na testa.

A terminar, depois de questionado se sabia se Moisés Borges tinha ou não apresentado queixa, Emanuel Barbosa disse desconhecer e acusou o deputado do PAICV de ter fugido do local. "A única coisa que sei é que o deputado Moisés Borges, que alega que eu o agredi não tem nenhum indicio de agressão. Eu tenho. Depois ele aquando do ocorrido fugiu do local".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,9 nov 2018 17:04

Editado porAndre Amaral  em  16 nov 2018 6:19

2

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.