​UCID acusa Câmara de São Vicente de descaso perante “solução” apresentada para a lixeira municipal

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,17 abr 2019 15:07

António Monteiro
António Monteiro (Rádio Morabeza)

A UCID acusa a Câmara de São Vicente de descaso em relação a resolução do problema da lixeira municipal, causando problemas ambientais e de saúde pública na ilha. O presidente dos democratas cristãos falava hoje, em conferência de imprensa, na ilha do Monte Cara.

A posição deriva da alegada falta de interesse da autarquia mindelense em implementar um projecto de incineração, apresentado em 2016, e já com financiamento garantido por empresários suecos. António Monteiro pede a Augusto Neves e ao Governo abertura para que sejam iniciadas as diligências para solucionar o problema da lixeira.

“Descaso este que está a criar dificuldades ambientais terríveis e problema de saúde pública na ilha de São Vicente. A UCID entende que há uma solução que é a incineração deste lixo para produzirmos cerca de 700 kwh de energia por hora e aproximadamente 300 m3 de água/dia. O apelo que fazemos ao presidente da Câmara e ao próprio Governo é que iniciemos os contactos necessários para darmos à ilha de São Vicente um tratamento de lixo que coadune com as aspirações ambientais dos sanvicentinos”, diz.

A proposta a que a UCID faz referência foi apresentada em 2016, durante a campanha eleitoral e mais tarde, à própria Câmara Municipal. A solução, segundo António Monteiro, passa pela transformação dos resíduos sólidos em energia, para a produção de electricidade e água, num projecto avaliado em 4 milhões de euros.

“Não podemos continuar a assobiar para o lado enquanto centenas de pessoas vivem aqui nesta lixeira. A criação e instalação deste projecto irá permitir que algumas dezenas de pessoas possam trabalhar com rendimento aceitável e com dignidade”, afirma.

António Monteiro recusa a ideia de que um aterro sanitário seja a solução para a lixeira municipal.

“A solução é a inceneração porquanto é uma tecnologia mais barata e nós não temos resíduos extremamente perigosos em Cabo Verde”, entende.

A conferência de imprensa foi feita na lixeira municipal, algo que acontece pela terceira vez nos últimos anos. António Monteiro aproveitou a ocasião para recordar que em 2015 o Governo do PAICV atribuiu uma verba de 8 mil contos para a vedação da lixeira, mas que a mesma “continua completamente abandonada”.  

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,17 abr 2019 15:07

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 jul 2019 23:22

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.