UCID pede consensos para o debate do Orçamento

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,23 nov 2021 15:03

A UCID chama a atenção para a necessidade de criação de consensos para o debate do Orçamento de Estado para 2022, que acontece esta semana, no parlamento.

Em conferência de imprensa, realizada esta terça-feira, em São Vicente, os democratas-cristãos reafirmaram a defesa de uma “linha vermelha”, relativa ao anunciado aumento do Imposto sobre Valor Acrescentado (IVA).

Em representação dos deputados, Dora Pires recorda que a UCID propõe o aumento da dívida pública.

“Isso porque nós não gostaríamos de pisar a linha vermelha, ou seja, o aumento do IVA de 15 para 17%, porque não podemos sacrificar os cabo-verdianos com o aumento do IVA. Também gostaríamos de ver o aumento do salário mínimo, porque os que ganham menos precisam de ter mais para superar esta situação. Também não podemos esquecer os que têm o salário médio, porque também perderam poder de compra”, refere.

A parlamentar recorda que o país atravessa um ”momento difícil” e defende a urgência na criação de consensos políticos em torno “daquilo que salvaguarda o interesse e bem-estar dos cabo-verdianos”.

“Nós temos uma inflação considerável e aumentando o imposto de 15 para 17% as famílias não irão resistir. Há famílias que irão passar por mais dificuldades, por isso, defendemos mais diálogo. Creio que há espaço para debatermos a realidade do país, pensar no cabo-verdiano e não sacrificá-lo pelas más políticas dos sucessivos governos. Temos que analisar a situação do país e decidir o melhor para os cidadãos”, alerta.

A UCID aponta ainda para a necessidade de “redução das despesas de funcionamento e da definição de prioridades claras para o próximo ano”.

A proposta de Lei do Orçamento do Estado para o próximo ano, orçado em cerca de 73 mil milhões de escudos, estabelece no seu artigo 48.º, que a taxa do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), a vigorar até 31 de dezembro de 2022, é de 17%, mais dois pontos percentuais face à actualmente em vigor.

Está ainda previsto o agravamento de taxas aduaneiras e a aplicação de um imposto sobre o tabaco, medidas com as quais o Governo tenta aumentar as receitas fiscais, face à crise provocada pela Covid-19.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,23 nov 2021 15:03

Editado porAndre Amaral  em  8 dez 2021 23:20

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.