​Projecto turístico na ONAVE só avança com salvaguarda do interesse nacional – Abraão Vicente

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,6 jul 2022 14:56

A proposta de construção de um complexo hoteleiro e uma marina nas instalações da ONAVE, em São Vicente, só avança se o promotor estiver disponível para construir um porto de pesca e um estaleiro naval para reparação de barcos de pesca e capaz de prestar serviços aos iates. Garantia deixada hoje pelo Governo.

Em declarações feitas à imprensa, à saída de um encontro com as várias entidades ligadas à matéria, o ministro do Mar, Abraão Vicente, disse que o interesse nacional está em primeiro lugar.

“Nós não podemos ceder um espaço tão bem localizado simplesmente porque há um projecto hoteleiro. O interesse público está em primeiro lugar. O que saiu da reunião é que teremos que negociar com os promotores. Só avança se este promotor estiver disponível a construir o estaleiro naval nas condições propostas pela Enapor e pela APESC e o porto de pesca. A partir daí veremos como reposicionar o investimento privado”, realça.

Abraão Vicente diz que Cabo Verde está aberto a todos os investimentos, mas os mesmos não podem perigar nenhum outro sector económico, nomeadamente o das pescas.

Questionado sobre quem é o promotor, a tutela da pasta do Mar diz que neste momento não vale a pena avançar o nome, pelo menos até as negociações estarem concluídas.

Mas uma fonte ligada ao processo avançou à Rádio Morabeza que se trata do projecto Atlantic Marina Monte Cara Ocean Race do investidor belga Frank Damman.

A Associação dos Armadores de Pesca de Cabo Verde (APESC) é uma das partes integrantes de todo o processo de construção da marinha e do estaleiro naval na ONAVE. O presidente da APESC, João Lima, entregou hoje ao Ministério do Mar uma proposta de remodelação e construção da Marina ONEVE e do estaleiro, que deve ser alocado à proposta do promotor. As negociações continuam na quinta-feira.

“É um investimento de 37 milhões de euros que o promotor quer fazer na ONAVE, e a APESC defende o interesse da armação nacional a nível da reparação e construção naval e de todos os funcionários e pessoas da sociedade civil que operam na ONAVE”

João Lima realça que a ONAVE (as Oficinas Navais de São Vicente) é uma zona fundamental para o sector da reparação naval, pelo que é preciso encontrar uma base negocial em que os armadores ficam em pé de igualdade com o promotor.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,6 jul 2022 14:56

Editado pormaria Fortes  em  5 fev 2023 23:27

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.