​UCID chama a atenção para “reformas sem planeamento estratégico” do sistema educativo

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,26 set 2022 11:44

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) diz-se preocupada com a forma como tem sido implementada a reforma educativa. O partido considera que o processo tem sido efectivado “sem o necessário planeamento estratégico e operacional, sem a envolvência dos professores, e às presas”, disse hoje a força política.

As declarações foram feitas pela deputada Zilda Oliveira, durante uma conferência de imprensa sobre o sector da educação e o início do novo ano lectivo.

“Iniciou-se agora a implementação da reforma do ensino técnico, e ainda não ouvimos nenhum pronunciamento do senhor ministro da Educação acerca desta. Perguntamos se será porque os programas das disciplinas tecnológicas, inclusive as práticas oficinais, do 10º ano, o ano da reforma, ainda não foram enviadas às escolas. Como é que é suposto os professores trabalharem numa reforma iniciada sem confiança? E sem programas não há manuais, pelo que sem estes está-se a por em causa o sucesso do processo ensino-aprendizagem”, diz.

Zilda Oliveira refere que ainda não foi aprovado um sistema de avaliação para o ensino técnico, no âmbito da reforma em curso. A parlamentar realça que não se pode continuar com a “prática recorrente de introdução de adendas ao longo do ano lectivo, e muitas vezes até no final do ano que confundem e condicionam o trabalho dos professores e dos alunos, e com implicações a nível dos resultados e da própria gestão da escola”.

“A nível do ensino técnico, as oficinas não são em dimensão ou em número suficiente para albergar os três níveis de ensino da via técnica, pois a via técnica agora passa a ser do 10º ao 12º. E por este motivo, muitos alunos em São Vicente não puderam seguir por esta via de ensino, contrariando a lógica da orientação vocacional e da valorização do ensino técnico”, entende.

Na mesma conferência de imprensa, a parlamentar dos democratas-cristãos disse que a força política concorda com o Governo na necessidade de se continuar a reabilitar o parque escolar, mas defende que é igualmente necessário adequar as escolas às necessidades impostas pelos currículos e pela reforma educativa ora implementada.

“Por exemplo, muitas escolas básicas não têm espaço adequado, e nem equipamentos necessários ou em número suficiente para as aulas de educação física. A disciplina TIC, modular no 7º e 8º e agora obrigatória do 9º ao 12º, exige a criação de salas de informática e a alocação de computadores em número suficiente para uma gestão de horários sem os constrangimentos verificados”, afirma.

Zilda Oliveira faz um apelo para um maior cuidado da saúde mental dos jovens, pelo que defende a necessidade de ponderar a possibilidade de afetar psicólogos clínicos às escolas, ou pelo menos por agrupamento.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,26 set 2022 11:44

Editado porAndre Amaral  em  2 dez 2022 23:28

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.