PAICV em linha com a mensagem do PR apela ao diálogo profundo com profissionais

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,2 jan 2024 14:18

O presidente do PAICV apelou ao Governo, na mesma linha com a mensagem do Presidente da República, a um diálogo profundo com todos os profissionais, para responder aos desafios que o País enfrenta em diversas áreas.

Este repto foi lançado por Rui Semedo hoje, em conferência de imprensa, para reagir à mensagem de ano novo dirigida ao País pelo Presidente da República, José Maria Neves, que avaliou como abrangente, que trata as questões mais importantes da vida interna do País, mas também uma mensagem de esperança.

“O Presidente faz um apelo a que tenhamos um ano de menos pobreza, menos desemprego, menos desigualdade, eventualmente resume a situação do país que é uma situação de facto grave. Eu poderia resumir isso a um País mais desenvolvido, mais próspero, um país mais justo, mais solidário e um País que garanta oportunidades para todos”, afirmou.

Isto, tendo em conta que, segundo o presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) a população cabo-verdiana vive penúrias diversas, como a pobreza que tem apoquentado as famílias, as pessoas directamente e toda a comunidade.

Segundo realçou, o desemprego é uma realidade, designadamente o desemprego jovem, pelo que o País não pode perder de vista que estes estão de certa forma desesperados, porque investem nas suas qualificações e não têm oportunidade de acesso ao emprego.

“O Presidente da República fala claramente da necessidade de diálogo para reduzir o nível de tensão, para atender as reivindicações justas e criar as condições de estabilidade para o trabalho, quer no sector da Saúde, quer da educação”, lembrou o presidente do PAICV.

“Nós também, em linha com a mensagem do Presidente ao Governo, apelamos a um diálogo profundo com todos os profissionais para ver as suas reivindicações e as respostas que podem ser dadas neste contexto que o País vive”, defendeu.

O presidente do PAICV criticou o facto de o País estar “acomodado” com a situação da criminalidade e da insegurança, afirmando que a segurança é um bem essencial e fundamental que deve ser garantido a todos os cabo-verdianos e aos que escolheram o País para viver.

“Ele termina a sua mensagem numa perspectiva positiva de desejar mais confiança e mais alento suficiente para enfrentar o ano de 2024, a paz, a cessação de conflitos, mas também que tenhamos um ano em que vamos melhorar as condições das situações da pobreza, da desigualdade e do desemprego”, sublinhou.

O PAICV, assegurou, deseja que 2024 seja um ano em que haja respostas novas, em que haja maior “humildade” do Governo para dialogar com todos os cabo-verdianos, de modo que haja entendimento sobre os problemas essenciais do País, e medidas de política que contribuam para dinamizar a economia.

“É claro que gostaríamos de ter um País mais seguro, com menos criminalidade, mais respostas e melhores respostas para a saúde, educação e um País em que o diálogo social seja mais fluido e que se encontrem respostas para a estabilidade”, augurou, frisando que esta é uma responsabilidade do Governo para que Cabo Verde continue a crescer e a encontrar respostas para os desafios.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,2 jan 2024 14:18

Editado porAndre Amaral  em  19 mai 2024 23:29

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.