Governo revê contas de 2020 com recessão superior a 5%

PorExpresso das Ilhas, Lusa,19 mai 2020 10:11

O Governo estima que a riqueza produzida no país recue em 2020 a níveis de há dois anos, devido à COVID-19, com uma recessão superior a 5%, segundo cálculos da Lusa baseados em documentos oficiais.

De acordo com a previsão inscrita das Contas Provisórias do Estado do primeiro trimestre, do Ministério das Finanças, que já integra uma revisão após a crise provocada pela pandemia e que antecede a apresentação, em Junho, de um novo Orçamento do Estado para este ano, o Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2020 deverá agora situar-se nos 185.776 milhões de escudos (1.675 milhões de euros).

Trata-se de um corte de 12%, tendo em conta que a previsão inicial, no Orçamento ainda em vigor, era de 211.095 milhões de escudos (1.904 milhões de euros), equivalente a uma descida de quase 230 milhões de euros na riqueza a produzir este ano em todo o país, entre a expectativa inicial e a revisão após os efeitos da pandemia.

Segundo dados revelados anteriormente pelo Instituto Nacional de Estatística, o PIB cabo-verdiano - toda a riqueza produzida pelo país – cresceu 6,1% em 2019, face ao ano anterior, ao passar de 184.661 milhões de escudos para 195.929 milhões de escudos.

Com esta revisão em cima da mesa, a economia cabo-verdiana deverá cair quase 5,2% em 2020, face a 2019.

Um quarto da riqueza nacional do arquipélago depende das receitas do turismo, mas o país está fechado a voos internacionais desde Março, para travar a pandemia, e o Governo já admitiu que deverá perder meio milhão de turistas em 2020, depois de em 2019 ter alcançado um recorde de 819 mil.

“As perspectivas para a economia nacional em 2020 agravaram de forma rápida e significativa em resultado dos choques directo e indirecto provocados pela pandemia da COVID-19”, comentou o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, a propósito das Contas Provisórias do Estado dos primeiros três meses e recordando as previsões de recessão mundial devido à pandemia.

Uma das consequências da revisão em forte baixa da previsão do PIB cabo-verdiano prende-se com o aumento do peso do stock da dívida pública do país: “Tendo em conta os efeitos da COVID-19 e o novo PIB projectado para 2020, tem-se que no primeiro trimestre o rácio stock da dívida pública/PIB atingiu provisoriamente 131,5%”, lê-se no documento com as Contas Provisórias do Estado.

Segundo o relatório, à data de 31 de Março, o stock da dívida do Governo central “atingiu o montante de 244.370 milhões de escudos [2.205 milhões de euros]”, equivalente assim a “131,5% do PIB estimado pelo Ministério das Finanças”, em que 95,5% corresponde a dívida contraída externamente.

Trata-se de um aumento homólogo de 14,5 pontos percentuais, conforme nota o mesmo documento, explicado ainda com o “crescimento da dívida externa”: “É justificado pela ocorrência de novos desembolsos referentes a projectos em fase de implementação assim como pela desvalorização do escudo cabo-verdiano em relação a algumas divisas [dólares] que constituem o portefólio”.

O vice-primeiro-ministro admitiu em Abril um cenário de défice orçamental, devido à pandemia, que dispara este ano de 2 para 10% do PIB, com a correspondente “explosão” da dívida pública e uma recessão económica, na previsão de então, de 4 a 5% do PIB, contra o crescimento anual acima de 5% que se registava até agora.

O quadro, reconheceu na ocasião, era composto ainda, “no melhor cenário”, pela duplicação do desemprego, cuja taxa poderá chegar aos 20% e a quebra de 18 mil milhões de escudos (163 milhões de euros) em receitas públicas.

Cabo Verde tem um acumulado de 328 casos de COVID-19 (262 na Praia, ilha de Santiago), dos quais três resultaram em óbito e 84 foram, entretanto, dados como recuperados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,19 mai 2020 10:11

Editado porSara Almeida  em  31 mai 2020 10:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.