MpD regista inversão mas reconhece que nem tudo está feito

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,27 dez 2018 7:18

Miguel Monteiro, MpD
Miguel Monteiro, MpD

​O secretário-geral do Movimento para a Democracia (MpD) afirmou quarta-feira que a mensagem de Natal do primeiro-ministro demonstra uma inversão relativamente ao passado mais recente, mas reconheceu que nem tudo está feito.

À Inforpress, Miguel Monteiro defendeu que relativamente ao crescimento económico “conseguiu-se aumentar em quatro vezes a média do último mandato do PAICV, que era de 1 por cento (%), estando agora em 4 %, com perspectivas de, em 2019, de atingir os 5,5%.”

A nível da saúde, o responsável político lembrou que estão a ser feitos investimentos que em 2019 vão ser reforçados, citando como exemplo o Centro de Hemodiálise do Mindelo.

No que diz respeito à segurança, segundo Miguel Monteiro, o Governo fez vários investimentos na polícia, nomeadamente equipamentos, materiais de comunicação e viaturas, para além do aumento do salário base de 50 mil escudos para 60 mil, para vigorar a partir de Janeiro de 2019, e do programa Cidade Segura.

“Esses investimentos têm levado a uma diminuição da insegurança", considerou o secretário-geral do MpD.

A nível dos transportes, o Governo encontrou “uma situação muito difícil”, com os TACV a custarem cerca 300 mil contos por mês ao erário público.

“Estamos, paulatinamente, a resolver esta situação e esperamos que haja privatização da TACV também brevemente”, realçou Miguel Monteiro.

Já no que tange ao desemprego, Miguel Monteiro disse que a líder do PAICV se equivocou ao dizer que em 2018 houve mais seis mil jovens no desemprego.

“Isso é falso. Primeiro, porque as últimas estatísticas referem-se a Março de 2018 e fazem referência a 2017. Segundo, porque a taxa de desemprego baixou de 15% para 12,2 % e a taxa de desemprego dos jovens desceu de 41% para 32,4%. Demonstra, sim, que ainda temos uma taxa elevada, principalmente na camada jovem, mas estamos a descer,” justificou.

Em jeito de remate, Miguel Monteiro lembrou que no Orçamento do Estado para 2019 o Governo disse que pretende tomar uma série de medidas para provocar a descida da taxa de desemprego. No entanto, reconheceu que “não há uma varinha mágica”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,27 dez 2018 7:18

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  15 set 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.