Janira quer ouvir Ulisses sobre desmentido de Luís Filipe Tavares ao Presidente

Janira Hopffer Almada
Janira Hopffer Almada

A líder do PAICV quer ouvir o Primeiro-Ministro sobre as declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros, a propósito da entrevista do Presidente da República ao Expresso das Ilhas e Rádio Morabeza, onde Jorge Carlos Fonseca revela que só conheceu o SOFA já depois deste ter sido assinado.

Na quarta-feira, depois de publicada a entrevista ao Chefe de Estado, Luís Filipe Tavares desmentiu, aos microfones da RCV, a versão do Chefe de Estado, garantindo que o Presidente teve conhecimento prévio do acordo militar com os Estados Unidos.

“Queria dizer, em nome do Governo, que todos os sujeitos políticos foram informados antes da assinatura do SOFA. Obviamente que este documento de extrema importância para Cabo Verde foi discutido com todas as entidades políticas, incluindo o Presidente da República”, garantiu o ministro.

Para Janira Hopffer Almada, estas declarações do chefe da diplomacia não são aceitáveis, por colocarem em causa a figura do Presidente da República.

"O Primeiro-Ministro não pode se esconder perante esta situação. Ou ele se demarca publicamente das declarações do Ministro dos Negócios Estrangeiros, ou ele age em consequência e em coerência, para preservar a Nação, o Estado de Cabo Verde e a figura do Presidente da Republica", disse quinta-feira, na Praia.

“Trata-se da situação inaceitável de o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, desmentir, publicamente, o Chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca”, acrescentou.

Para a presidente do PAICV está em causa a "dignidade do Presidente da República" e a "credibilidade do Estado". 

Janira espera que Ulisses Correia e Silva venha a público demarcar-se publicamente das declarações do MNE e assinala o que considera de frequente "zigue-zague nos pronunciamentos" de membros do Governo sobre diferentes questões da governação.

Numa longa longa entrevista ao Expresso das Ilhas e Rádio Morabeza, o Presidente da República assinalou que a forma como o processo do SOFA foi conduzido "não é normal", nem "desejável". A entrevista a Jorge Carlos Fonseca pode ser lida na edição impressa do jornal, já nas bancas.

Na quarta-feira, a Rádio Morabeza e o Expresso das Ilhas procuraram ouvir uma reacção de Luís Filipe Tavares. Estabelecido o contacto com a assessoria de imprensa, não obtivemos qualquer resposta até este momento.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Rádio Morabeza,31 ago 2018 7:57

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 nov 2018 3:22

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.