"Não é correcto dizer que Santiago passou a ser um hub" - Paulo Veiga

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,19 fev 2019 7:16

Assinatura do acordo de compromisso  para entrada dos armadores nacionais  no capital social da futura empresa Cabo Verde Inter-ilhas
Assinatura do acordo de compromisso para entrada dos armadores nacionais no capital social da futura empresa Cabo Verde Inter-ilhas(Rádio Morabeza)

A definição das linhas para o sistema de transporte marítimo de passageiros e cargas entre as ilhas tem como base a procura dos mercados, de acordo com os estudos realizados. A garantia é do secretário de Estado-Adjunto da Economia Marítima, que afirma que as linhas são dinâmicas, podendo ser ajustadas, caso seja necessário.

Paulo Veiga falava segunda-feira aos jornalistas, em São Vicente, depois da assinatura do acordo entre o governo e os armadores nacionais para a sua entrada no capital social da futura empresa concessionária do transporte marítimo no país.

O Governante nega que a intenção do governo seja criar um hub marítimo na Praia.

“Este mapa que foi publicado é dinâmico, tem que ver com estudos feitos, de onde existem cargas e passageiros. Mas não é correcto dizer que Santiago passou a ser um hub. Não, Santiago é um mercado. Nós queremos é unificar e desenvolver as economias locais, sabemos que temos 300 mil habitantes em Santiago, portanto, é um grande mercado e os navios têm que lá chegar com as mercadorias de todas as ilhas. Objectivamente, temos que analisar isto é nesta perspectiva e não noutra”, afirma.

Segundo o secretário de Estado-Adjunto da Economia Marítima o mapa é dinâmico e as linhas podem sem reajustadas, se houver necessidade.

“Temos é que levar as cargas e os passageiros para onde são necessários e são pedidos. É por isso que tem uma indemnização compensatória, linhas novas, por isso que esta linha é dinâmica. Isto pode começar assim e amanhã mudar porque, por exemplo, é preciso mais viagens para São Nicolau e para Brava, ou se Boa Vista pára de importar directamente muita mercadoria e a mercadoria chegar a São Vicente, depois temos que fazer a mercadoria chegar a Boa Vista. Portanto, isto é tudo dinâmico mas, neste momento, se formos ver o mercado consumidor de Santiago é maior do que qualquer outro mercado”, indica.

Diagrama da rede (Governo de Cabo Verde)
Diagrama da rede (Governo de Cabo Verde)" style="width: 656px;

Por seu lado, Luís Viúla, representante da Associação Cabo-Verdiana de Armadores de Marinha Mercante, afirma que o cenário proposto é passível de alterações.

“A definição das linhas é um cenário proposto, passível de alguma alteração, logicamente tem que ver com o tipo de navios que vão ser adquiridos. Portanto, com a vinda dos navios, certamente que haverá uma ou outra alteração. Eu vejo que realmente é passível de alguma alteração mas o futuro dirá”, refere.

O novo sistema de Transporte Marítimo de Passageiros e Carga deverá começar a funcionar em Agosto.

O contrato de concessão entre o Governo e a Transinsular, vencedora do concurso, foi assinado na sexta-feira, para um período de 20 anos, renovável. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,19 fev 2019 7:16

Editado porFretson Rocha  em  21 jul 2019 23:22

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.