​Augusto Neves nega falta de transparência na atribuição de habitações do "Casa Para Todos"

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,7 out 2019 13:59

Carla Monteiro, Augusto Neves e José Carlos
Carla Monteiro, Augusto Neves e José Carlos

A Câmara Municipal de São Vicente nega falta de transparência nos critérios para distribuição das casas de Classe A do programa “Casa Para Todos”.

Em conferência de imprensa hoje, para reagir à acusação de falta de transparência, feita na semana passada, pela UCID, o edil mindelense explicou que a atribuição de habitações é feita através do cadastro social da Câmara Municipal e do regulamento de atribuição. Augusto Neves realça que o processo é delicado e demorado, mas é um trabalho sério e transparente.

“O Serviço Social passou mais de dois anos a trabalhar nos processos de Ribeira de Julião II. Um trabalho árduo e sério. Temos, em São Vicente, um défice alargado de aproximadamente 8 mil fogos e cerca de sete mil pessoas esperam uma habitação social. É um trabalho duro, é feito com muita responsabilidade e muita transparência”, diz.

Os democratas cristãos denunciaram que, até hoje, aquelas casas não têm água potável, nem electricidade. O presidente da Câmara Municipal de São Vicente recorda que os contratos para ligações domiciliárias são feitos pelos próprios moradores.

“Tudo aquilo que a UCID disse é pura mentira. Essas habitações foram entregues [à Câmara Municipal] há cerca de três anos, e a partir deste momento começamos a trabalhar no processo. Mas só agora conseguimos fazer as atribuições. O facto de muitos terem lá ido, sem ligação, a partir do momento que entregamos as chaves é devido a necessidade. Todo o mundo sabe que quem faz a ligação da luz eléctrica é a própria família, não é a Câmara Municipal”, afirma.

UCID quer auditoria ao processo de distribuição de habitações do "Casa Para Todos"

A UCID vai pedir uma auditoria ao processo de entrega das casas de Classe A, do "Casa Para Todos", em São Vicente, distribuídas pela Câmara Municipal de São Vicente. O pedido deverá ser entregue ao Ministério das Infra-estruturas na próxima semana

Em 2016, o governo transferiu para as Câmaras Municipais a responsabilidade da gestão das casas de Classe A, construídas no âmbito do extinto programa "Casa Para Todos", para posterior arrendamento, às pessoas de baixa renda.

Ao todo, 2.242 habitações foram passadas para as autarquias, num processo que decorreu entre Agosto de 2018 e Janeiro deste ano. Em São Vicente, Augusto Neves garante que quase todas já foram distribuídas.

A UCID anunciou que vai pedir uma auditoria ao processo.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,7 out 2019 13:59

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 out 2019 14:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.