​Augusto Neves pede consensos para que a regionalização se concretize

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,16 abr 2019 15:43

​Augusto Neves pede a criação de consensos para que a regionalização se concretize. Em conferência de imprensa, hoje, o presidente da câmara municipal de São Vicente, lembrou que a regionalização não é um tema novo.

Reacção do edil mindelense, depois de na semana passada, durante a primeira sessão plenária de Abril, o governo ter pedido o cancelamento da votação na especialidade da lei da regionalização, por falta de entendimento entre os grupos parlamentares do MpD e do PAICV.

“A regionalização não é uma matéria nem de ontem, nem de hoje, é de há muitos anos, portanto, todos os partidos têm conhecimento e têm trabalhado este dossier e não é uma questão que se ia resolver em duas semanas. Os partidos não podem fugir, porque todos sabem, aliás, o PAICV fez o seu projecto, agora teriam que discutir junto com o projecto do MpD e chegarem a consenso. É para isso que temos os deputados”, afirma.

Diz o autarca que o processo de regionalização não deve ser encarado como vontade política.

“Não vejo isso como uma vontade política, mas sim como uma necessidade da população, havendo mais um poder próximo da população, havendo maior e melhor distribuição do poder, dos recursos, obviamente que a população irá usufruir melhor daquilo que são os recursos nacionais”, sublinha.

Augusto Neves exorta os autarcas nacionais a unirem-se.

“Iremos continuar a lutar para que a regionalização seja efectiva, por isso peço aos autarcas, porque nós é que sentimos essa necessidade, nós é que estamos no terreno, a população é que está passando as dificuldades, nós é que sentimos aquilo que é o peso da centralização na Praia, portanto, nós é que teremos que lutar até convencer os deputados da necessidade emergente da aprovação dessa lei. Aqui [na câmara de São Vicente] há anos que debatemos essa matéria, chegou agora na sua última instância, no parlamento, terão agora que discutir e chegar a entendimentos para a sua aprovação”, afirma.

O processo de aprovação na especialidade da lei da regionalização não foi concluído na segunda sessão plenária de Março.

Voltou, depois, a estar na agenda dos trabalhos da primeira sessão de Abril, mas a iniciativa acabou cancelada pelo governo, por falta de consenso numa matéria que exigia dois terços.A proposta foi aprovada na generalidade no dia 26 de Outubro.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,16 abr 2019 15:43

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  27 mai 2019 12:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.