Governo quer reduzir para 20 mil o número de jovens desempregados até 2021

PorSheilla Ribeiro,27 nov 2019 13:42

O Governo pretende reduzir para 20.000, em 2021, o número de jovens sem Emprego, sem Educação e sem Formação, correspondendo a 10% do total dos jovens do país, com investimentos nos programas de formação e de estágios profissionais, nas políticas de acesso e inclusão à educação, nas políticas de promoção e incentivos ao empreendedorismo jovem e na dinâmica do crescimento económico.

A afirmação é do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, feita durante o debate sobre juventude, qualificação e emprego, da segunda sessão plenária de Novembro do Parlamento cabo-verdiano, que arrancou esta quarta-feira, 27.

Políticas de acesso, inclusão e qualidade da Educação estão a produzir, conforme o governante, efeitos na redução de adolescentes e jovens sem educação. Como resultados das medidas e das reformas do sistema educativo em curso, segundo disse, menos jovens abandonam a escola.

“ É de registo, a redução da taxa de abandono escolar no Ensino Secundário, de 7% em 2015/2016, para 0,5% em 2018/2019 e da taxa de aprovação, de 64,7% para 76,8%”, apontou.

Conforme expressou, no próximo ano lectivo, 2020/2021, a gratuitidade do ensino ficará completa, beneficiando 53.000 adolescentes e jovens em todo o país. Em relação aos investimentos na acção social escolar – alimentação, transporte e kits escolares – o primeiro-ministro garantiu que aumentaram “significativamente e vão continuar”.

Nessa linha, indicou que no ano lectivo 2016/2017 a 2019/2020, 11.283 bolsas de estudos para o ensino superior foram atribuídas, correspondentes a um investimento de mais de dois milhões de contos.

Segundo o líder do MpD e chefe de Governo, as políticas activas de emprego estão a aumentar a empregabilidade através da massificação da formação profissional, reconversão profissional e estágios profissionais. Exemplificou apontando o aumento da cobertura regional da oferta de formação profissional a jovens de todos os concelhos do país.

Outra questão importante indigitada por Ulisses Correia e Silva é a “inversão” da tendência dos resultados de uma situação de longa estagnação económica, com o país altamente endividado.

“Fazendo a economia crescer cinco vezes mais, em ambiente de estabilidade económica e de redução da dívida; reduzindo a taxa de desemprego de 15% em 2016, para 12,2% em 2018; reduzindo a taxa de desemprego jovem de 41% em 2016, para 27,8% em 2018; reduzindo o subemprego de 19,4% em 2016, para 14,7% em 2018; aumentado a percentagem de população empregada coberta pela segurança social de 40% em 2016 para 54% em 2019”, mencionou.

O debate com Ulisses Correia e Silva foi proposto pela bancada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV). Além do debate com o primeiro-ministro, constam da ordem do dia a apresentação e discussão do Orçamento do Estado para 2020, assim como a discussão e votação do projecto de resolução que aprova o orçamento privativo da Assembleia Nacional para o ano 2020.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,27 nov 2019 13:42

Editado porSheilla Ribeiro  em  6 dez 2019 8:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.