Uso de máscaras sobre a mesa do Presidente

PorSheilla Ribeiro,23 abr 2020 20:07

1

O Presidente da República(PR) anunciou hoje que está a avaliar um decreto-lei sobre o uso de máscaras.

Jorge Carlos Fonseca falava à imprensa, à margem de uma reunião com o governo, para avaliação do Estado de emergência em vigor.

Conforme informou, desde quarta-feira, está a avaliar o decreto-lei e nos próximos dias o governo deverá, através de portaria, regulamentar sobre em que situações é que é obrigatório o uso das máscaras, tipos, o fabrico local de máscaras, incentivos fiscais para essa produção e as encomendas de um número razoável de máscaras de outro género do exterior.

“Da maneira que as coisas estão, com o aumento de número de casos na Praia, é natural que o uso de máscaras, por exemplo, nos serviços de atendimento público, das pessoas que vão procurar serviço de atendimento público, autoridades, jornalistas, seja aconselhado ou imposto”, manifestou.

Conforme avançou o PR, nos próximos dias será feita uma avaliação de modo a ter uma ideia mais clara sobre o pós 2 de Maio, para as ilhas cujo o prazo de vigência do Estado de emergência termina nesta data.

Sobre as ilhas que ainda não registaram casos positivos, o Chefe do Estado lembrou que ainda restam três dias e algumas horas até ao término do estado de emergência, mas, que se tudo continuar numa perspectiva “positiva”, existe a probabilidade de se reduzir algumas medidas.

“Nomeadamente as medidas de recolhimento obrigatório, de proibição de circulação, mesmo que se dê esta oportunidade, as pessoas devem permanecer em casa sempre que é possível, mas poderá haver uma saída gradual e poderá haver circulação nas ruas, funcionamento dos serviços públicos e dos serviços privados... mas há coisas que vão possivelmente manter-se, como a interdição das praias, discotecas, restaurantes”, advertiu.

Para o Chefe de Estado é preciso reforçar o nível do confinamento.

“E as pessoas terem ideia de que estar em casa, ter distanciamento social, é uma medida de protecção pessoal dos seus entes queridos, dos seus familiares, da sua comunidade, do seu bairro, da sua ilha e do país. É defender o país. Não se pode ter a ideia de que ficar em casa é uma espécie de favor que está a fazer ao governo, ou ao Estado”, ponderou.

No dia 29 de Março entrou em vigor o estado de emergência em todo o território nacional que se prolongou até o dia 17 de Abril. Entretanto, para evitar a propagação do novo coronavírus, o Presidente da República alargou o estado de emergência até 2 de Maio para a Boa Vista, Santiago e São Vicente, ilhas onde se registaram casos positivos de COVID-19, sendo que nas restantes seis ilhas, sem casos da doença, o Estado de emergência vigora até 26 de Abril.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,23 abr 2020 20:07

Editado porSara Almeida  em  1 fev 2021 23:20

1

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.