Entre actos de contrição e recados para dentro, Monteiro disse adeus à presidência da UCID

PorExpresso das Ilhas,26 mar 2022 9:05

António Monteiro
António Monteiro

​O presidente cessante da União Cabo-Verdiana e Democrática (UCID) admite que o que fez não bastou para colocar o partido na posição de "ajudar na governação" e apela à mobilização dos militantes. António Monteiro discursava na noite de sexta-feira, no início do XVIII congresso da força política, a decorrer no Mindelo.

Monteiro está convencido que com união será possível oferecer ao país uma alternativa política que sirva de contraponto a PAICV e MpD, que têm governado Cabo Verde, em períodos alternados, desde a independência.

“O PAICV serviu Cabo Verde com altos e baixos, o MpD serviu com altos e baixos, a UCID vem servindo também com altos e baixos, mas falta-nos ainda atingir o patamar do poder político, para mostrarmos se somos iguais ou se somos diferentes”, disse.

Na despedida, o ainda líder do terceiro maior partido nacional voltou ao exercício de auto-crítica que já tinha feito em entrevista ao Expresso das Ilhas, afirmando que aquilo que fez enquanto comandou os destinos dos democratas-cristãos "não foi suficiente".

"Isto não deve servir de travão aos congressistas para discutirmos abertamente e apontarmos o dedo a este ou aquele e dizer 'você falhou'”, reforçou.

António Monteiro, que sai de cena depois de um longo período de liderança, ininterrupto desde 2009, lembrou que o partido "não tem dono" e defendeu que os militantes, ao invés de arranjarem "desavenças", devem "procurar o caminho" que permita à UCID ser aquilo que os fundadores idealizaram.

“Só conseguiremos resolver o problema do partido, com as soluções possíveis, se mobilizarmos todos de forma aberta, sincera, com verdade”, declarou perante os delegados, na Academia Jotamonte. 

Ao Expresso das Ilhas, o deputado e várias vezes candidato à Câmara Municipal de São Vicente já havia dito que permanecerá no parlamento, pelo menos por enquanto. Aos militantes, confirmou que vai continuar a "trabalhar com mais experiência, mais humildade e mais conhecimento".

Os trabalhos do XVIII congresso da UCID prosseguem este sábado, ao longo de todo o dia. A reunião magna terminará domingo, ao final da tarde, e terá como ponto alto a eleição do próximo presidente. João Santos Luís, há vários anos vice de António Monteiro, é o único candidato conhecido na corrida à sucessão, depois da desistência de Edson Ribeiro, que alegou falta de transparência. O congresso decorre sob o lema "crescer mais, servir melhor".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,26 mar 2022 9:05

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  28 set 2022 23:28

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.