​5 de Julho: PR diz é preciso garantir todos os direitos dos cidadãos

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,5 jul 2024 15:17

José Maria Neves
José Maria Neves

A produção da água, os alimentos, energia renovável, a indústria farmacêutica, a efectivação dos transportes marítimos, a coesão territorial e a redução das assimetrias regionais. Eis algumas potencialidades, destacadas pelo Presidente da República, que devem ser aproveitadas com critério para impulsionar a economia de forma decisiva, 49 anos depois da independência.

Declarações feitas hoje por José Maria Neves, no discurso durante a sessão solene comemorativa do 49º aniversário da independência de Cabo Verde, que decorreu na Assembleia Nacional. Na sua intervenção, o mais alto magistrado da Nação recordou que o país entrou na contagem decrescente para a celebração dos 50 anos de independência e que é preciso diversificar a economia.

“O facto de sermos um Estado oceânico permite ao nosso país catalisar novas dinâmicas de crescimento económico e de modernização, esconjurando o anátema de natureza madrasta e de parques recursos. Temos reunidos os requisitos básicos para acelerar o desenvolvimento económico e criar mais empregos e mais inclusão, com mais condições de dignidade para as pessoas. Há que diversificar a economia, aumentar a sua resiliência e, principalmente, ser capaz de aproveitar todo o potencial de um dos seus motores principais. Ou seja, devemos diversificar o produto turístico em todos os seus aspectos, bem como levar o turismo a todos os cantos do país, de acordo com as especificidades de cada local”, defende.

José Maria Neves considera que os dados disponíveis evidenciam a assertividade do sonho de sucessivas gerações de cabo-verdianos: o de ser livre e de viver com dignidade. O presidente refere que o arquipélago é um Estado de direito que funciona, mas que é preciso garantir todos os direitos dos cidadãos, buscando diminuir as desigualdades de rendimento, proporcionando mais riqueza e reduzindo a pobreza extrema para uma sociedade mais solidária, inclusiva e justa.

Por outro lado, entende que a questão que se coloca, e deve constituir entendimento alargado, é como melhor qualificar a democracia cabo-verdiana.

“Isto passa por uma maior abertura ao debate e por ter consideração e respeito por todos e entre todos, envolvendo mais os cidadãos nos assuntos públicos, fazendo do mérito, da transparência e da accountability autênticos mandamentos. Este é tempo de união de todos em torno dos grandes desígnios nacionais”, entende.

Para os próximos 50 anos, Neves espera um Cabo Verde moderno, próspero, justo e inclusivo e com oportunidades para todos.

Presidente da AN pede políticas para garantir coesão territorial

O presidente da Assembleia Nacional, Austelino Correia apontou algumas questões que devem merecer atenção, entre as quais a agitação laboral nas classes docente e médica, assim como as reivindicações dos magistrados. A coesão territorial, os transportes e o êxodo rural são outros aspectos realçados pelo líder da casa parlamentar.

“A exiguidade dos recursos disponíveis exige políticas consistentes para a promoção das parcelas territoriais mais deprimidas, sob pena do aprofundamento dos desequilíbrios naturais existentes. Mas a questão da mobilidade como serviço público se apresenta como um imperativo para a unificação do mercado nacional e para se combater os efeitos das assimetrias regionais. As insuficiências do nosso sistema de transportes internos, aéreos e marítimos persistem apesar dos visíveis esforços governamentais”, diz.

O Presidente da Assembleia Nacional lamenta que, quase meio século depois da independência, “o país regista um grande número de famílias que, em matéria de habitação, ainda não viveram o 5 de Julho.

Por outro lado, Austelino Correia afirma que para o resto da legislatura os grupos parlamentares devem entender-se quanto à eleição dos órgãos externos à Assembleia Nacional. Para as autárquicas, que devem acontecer no último trimestre do ano, o chefe da casa parlamentar pede elevado civismo e alta taxa de participação eleitoral.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,5 jul 2024 15:17

Editado porFretson Rocha  em  21 jul 2024 11:20

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.