PAICV diz que Ministério das Comunidades é 'tacho' para o ex-Presidente da Assembleia Nacional

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,10 mai 2022 14:21

Líder da bancada parlamentar do PAICV,  João Baptista Pereira
Líder da bancada parlamentar do PAICV, João Baptista Pereira Rádio Morabeza

O PAICV acusa o governo de adoptar medidas que penalizam os emigrantes, nomeadamente o aumento de duzentos contos sobre a importação de viaturas. O líder da bancada parlamentar do maior partido da oposição, João Baptista Pereira, falava esta manhã em conferência de imprensa de balanço das jornadas parlamentares.

O parlamentar lembra que estava implementada uma rede nacional para apoiar a emigração, para além da criação de gabinetes de apoio ao emigrante em vários municípios, algo que foi descontinuado pelo actual governo.

"É neste quadro que nós vamos poder debater com o senhor ministro, para ver de que lado da contradição vai cair o MpD. Porque, ou este ministério é importante efectivamente, e o MpD terá de explicar porque que descontinuou e extinguiu o ministério em 2016, ou este ministério não é importante, então terão de explicar porque que criaram agora o ministério apenas para dar um tacho ao ex-Presidente da Assembleia Nacional. Naturalmente com gastos enormes, porque nós estamos a ver que de facto é um ministro muito viajador, e por sinal já percorreu meio mundo neste ano que está no governo" avançou.

Noutra frente, o líder da bancada parlamentar avança que durante a primeira sessão plenária de Maio, o PAICV vai exortar o governo a colocar em prática as medidas adoptadas no sentido de controlar o aumento de preços.

''Não está a controlar, porque quando diz 5%, nós temos aumentos de 9%. Significa que o governo não esta a controlar aquilo que prometeu aos cabo-verdianos. Por outro lado, nós entendemos que o governo deve agir do ponto de vista fiscal, nomeadamente para se criar um novo mínimo de existência em Cabo Verde. Nós podemos recordar que, em 2014, o governo de então do PAICV introduziu reformas fiscais e aumentou o mínimo de existência, ou seja, aquilo que passou a ser tributado são valores que vão para além dos 36 mil escudos, ou seja, quem ganha até 36 mil escudos fica isento de pagar impostos neste momento para repor o poder de compra dos cabo-verdianos", explicou.

A questão da liberdade impressa é outra questão que preocupa os deputados da oposição. João Baptista Pereira revela que o seu partido vai questionar o governo sobre o tema. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,10 mai 2022 14:21

Editado porAndre Amaral  em  28 jun 2022 23:28

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.