​Cancro mata 300 pessoas por ano em Cabo Verde - INSP

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,4 fev 2020 8:43

O Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) reconhece a necessidade de melhorar o diagnóstico do cancro, assim como o tratamento e os cuidados paliativos em Cabo Verde. Em nota emitida no âmbito do Dia Mundial do Cancro, assinalado hoje, o INSP realça que mais de 60% dos cancros são diagnosticados em estado avançado, num país que regista, em média, 300 mortes por ano devido a doença.

Os cancros mais prevalentes são os da mama, do colo do útero, do aparelho digestivo e da próstata, sendo que os homens são os que mais morem por cancro no país. De acordo com os dados do Programa de Prevenção e Rastreio do Cancro (PPRC), esta doença representa a segunda causa de morte e de evacuação em Cabo Verde.

O comunicado do INSP recorda que apenas 10% dos cancros advêm de causas hereditárias e os restantes 90% são devido a causas esporádicas controláveis.

“O cancro é consequência daquilo que nós fazemos. Nesta senda, há um grande trabalho a ser feito na sensibilização da população sobre factores de risco que tem a ver com alimentação inadequada, a falta de actividade física, a obesidade entre outros, para minimizar os seus impactos e conseguir ganhos importante nesta luta”, alerta.

O Instituto Nacional de Saúde Pública diz que o país tem estado a trabalhar em várias frentes para minimizar o impacto desta enfermidade na sociedade cabo-verdiana, e de entre outras acções destaca-se o projecto de implementação da vacina HPV em meninas dos 9 aos 15 anos, para prevenir o cancro de colo de útero.

Este ano, o Dia Mundial do Cancro tem como lema “Eu sou e Eu vou”.

“2020 marca o ponto intermediário da campanha “Eu sou e vou” de três anos (2019 -2021). ‘Eu sou e eu vou’ é um apelo à acção empoderadora que exige compromisso pessoal e representa o poder das acções individuais tomadas agora para impactar o futuro. A mensagem principal é - seja você quem for, suas acções grandes e pequenas - farão uma mudança positiva e duradoura na luta contra o cancro”, lê-se.

Neste sentido todos, realça que todos, indivíduos, famílias, comunidades e autoridades são chamados a dar a sua contribuição para a redução do impacto global do cancro.

Segundo a OMS, somente em 2018 o mundo registou mais de 18 milhões de novos casos e 9 milhões de mortes. Se a tendência actual continuar, a região africana da OMS poderá registar mais de 2 milhões de novos caso de cancro até 2040.

O dia 4 de Fevereiro é o Dia Mundial do Cancro e o seu objectivo é desmistificar algumas das ideias pré-concebidas sobre o cancro e informar sobre os fatos reais da doença, sensibilizar a população e mobilizá-la na luta contra o cancro.

Neste sentido, o Instituto Nacional de Saúde Pública, realiza em conjunto com os seus parceiros, uma mesa redonda sob o lema “Cancro seus factores de risco e prevenção”, na cidade da Praia, com o objectivo de promover uma reflexão sobre esta doença que é considerado um problema de saúde pública. O evento acontece na sala de reuniões do Instituto Nacional de Saúde Pública. A cerimonia de abertura será presidida pelo Director Nacional Saúde, Dr. Artur Correia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,4 fev 2020 8:43

Editado porSara Almeida  em  27 mar 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.