"Governo ainda não desistiu de criar 45 mil postos de trabalho nesta legislatura" - MpD

PorAndre Amaral,3 abr 2019 12:34

Miguel Monteiro
Miguel Monteiro(MpD)

Secretário Geral do MpD acredita que "ainda há tempo" para o governo cumprir a meta a que se propôs, na campanha para as eleições legislativas, de criar 45 mil postos de trabalho. Manutenção da taxa de desemprego nos 12,2% é vista como algo positivo, "tendo em conta os dois maus anos agrícolas que tivemos".

"A maior parte do valor perdido em empregos tem a ver com o sector primário", disse hoje o Secretário Geral do MpD, Miguel Monteiro, ao analisar os números apresentados, na segunda-feira, sobre a taxa de desemprego em Cabo Verde. A sustentar esta opinião uma ideia: "Cabo Verde teve dois maus anos agrícolas sucessivos. Quem se lembra de isso acontecer? Eu não".

Ainda assim, "apesar de termos perdido cerca de 18 mil postos de trabalho nestes dois anos de 2017 e 2018, a taxa de desemprego não aumentou. Isso demonstra que as medidas tomadas pelo governo ao nível da mitigação do mau ano agrícola têm estado a ter efeito. Por outro lado, houve um aumento da população inactiva, mas isso não significa que haja um aumento das pessoas desanimadas como faz crer a oposição". "Apenas 18,6% das pessoas que estão inactivas dizem que gostariam de estar a trabalhar e não estão", acrescentou. Quanto aos outros, destacou, são pessoas que não podem trabalhar porque "não podem trabalhar ou porque ainda estão a estudar".

Desemprego mantém-se nos 12,2%

Sem alterações em relação ao ano anterior. Taxa de desemprego mantém o mesmo valor de 2017 sendo maior entre os jovens 15-24 anos (27,8%). O Instituto Nacional de Estatística registou, em 2018, uma diminuição da população empregada em Cabo Verde.

Quanto à proposta feita pelo MpD, durante a campanha eleitoral de 2016, de criar 45 mil postos de trabalho até ao final da legislatura, o Secretário Geral do MpD disse que o partido "acredita que o governo ainda não desistiu e que será possível alcançar esse número".

"Pelas informações que temos é possível, sim, conseguir os 45 mil postos de trabalho. Agora, se calhar, dependerá um pouco da ajuda divina porque o sector primário é um sector que contrata muita gente, tivemos dois anos muito maus, se houver chuva de forma salutar e que permita ter boas culturas, estamos certos que estaremos em condições de cumprir com os 45 mil postos de trabalho", concluiu.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,3 abr 2019 12:34

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 out 2019 23:21

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.