Governo aprova construção de dois blocos habitacionais na Boa Vista

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,13 set 2019 8:31

Governo quer suprir défice habitacional na Boa Vista
Governo quer suprir défice habitacional na Boa Vista

A ilha da Boa Vista vai ser contemplada com mais dois blocos habitacionais, no valor de 238 mil contos. O objectivo é colmatar a falta de moradias e ajudar a erradicar as construções informais e barracas na ilha, disse ontem o Governo.

O projecto já foi aprovado em Conselho de Ministros, que deu luz verde ao Ministério das Infra-estruturas para realizar as despesas de construção. O anúncio foi feito esta quinta-feira, em conferência de imprensa, pelo ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire.

“Irá permitir, por um lado, fazer com que a dinâmica económica na ilha da Boa Vista, neste momento, com o aumento do número de turistas, com o aumento do número de voos, com a deslocalização de vários serviços e a deslocação de pessoas para trabalharem na ilha, possam encontrar todas as condições para desenvolverem as suas actividades profissionais e também para as próprias pessoas que vivem na ilha. É um investimento muito importante que vai reforçar a política de habitação do Governo e permite disponibilizar mais habitações para a ilha da Boavista”, realça.

O executivo prevê que os dois blocos, a serem construídos com recurso ao Orçamento do Estado, fiquem concluídos no próximo ano.

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, já reagiu com satisfação ao anúncio do Governo.

“Recebi, hoje, [quinta-feira] com satisfação, a notícia de que o Governo decidiu investir mais de duas centenas de milhares de contos na construção de blocos habitacionais na ilha da Boa Vista. Ilha onde estive muito recentemente em visita oficial de três dias (2 a 4 do corrente), com tónica nos contactos com as populações de todas as localidades da ilha”, lê-se na sua página na rede social Facebook.

O chefe de Estado espera que “a concretização se dê em tempo razoável e venha a servir os interesses da população e o objectivo de desenvolvimento inclusivo da ilha”.

Na mesma reunião do Conselho de Ministros, foi aprovada a proposta de resolução que aprova a convenção de estabelecimento entre o Estado e a empresa Aquasun Energia e Água. Trata-se de um investimento de 22 milhões de euros na área agro-industrial, em Santo Antão.

“A convenção de estabelecimento justifica-se pelo facto de ser um investimento que é estratégico para Cabo Verde, no sentido de permitir ao nosso país, na área agro-industrial e agro-pecuária, ter acesso a mais água e a mais energia, no processo de aumento da resiliência de Cabo Verde num contexto de mudanças climáticas. Pelo facto de ser investimento estruturante de 22 milhões de euros e também permitir a criação de 100 postos de trabalho de forma directa. O projecto visa, acima de tudo, criar mais condições para a prática da agricultura na ilha de Santo Antão”, diz Elísio Freire.

O projecto prevê a construção e a operacionalização de um parque solar híbrido e solar foto voltaico, a edificação de infra-estruturas eléctricas de cablagem de média tensão, de uma central de água dessalinizada, construção e a operacionalização de um centro hidropónico e de um centro agro-industrial.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,13 set 2019 8:31

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  3 jun 2020 23:20

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.