“Esta paralisação não é um tempo perdido”. Presidente da República prolonga Estado de Emergência (com vídeo)

PorAndre Amaral,16 abr 2020 15:38

Santiago, São Vicente e Boa Vista, por serem as ilhas onde até agora se registaram casos de infecção por coronavírus, vão ser sujeitas a um período de Estado de Emergência mais alargado que as restantes ilhas de Cabo Verde.

O Presidente da República anunciou hoje que “depois de consultar o Governo, de ouvir as lideranças dos partidos com assento parlamentar, eminentes personalidades das esferas científica, empresarial, do mundo laboral e de praticamente todos os sectores da sociedade civil, e depois de cumprir o preceituado na Constituição de ouvir o Governo" entendeu que deveria "prorrogar o Estado de Emergência em todo o território nacional". Nesse sentido, conforme avançou, já foi solicitada a necessária autorização da Assembleia Nacional.

Comparando com a situação actualmente em vigor, há, no entanto, uma diferença significativa no alcance territorial da medida hoje anunciada por Jorge Carlos Fonseca. As três ilhas onde foram registados casos de COVID-19 vão continuar em Estado de Emergência "entre as 00h00 de dia 18 de Abril e as 24h00 de dia 2 de Maio", disse Jorge Carlos Fonseca na declaração ao país.

Já as restantes ilhas - Santo Antão, São Nicolau, Sal, Fogo, Brava e Maio - terão um período mais curto de Estado de Emergência que vigorará das "00h00 de 18 de Abril até às 24h00 do dia 26 de Abril", acrescentou Jorge Carlos Fonseca.

“A redução global da duração do Estado de Emergência bem como a diferenciação da sua duração entre as ilhas com e sem casos de COVID 19 diagnosticados é o reconhecimento da existência de situações diferentes que, contudo, deverão continuar a ser enfrentadas com todo o vigor, uma vez que os riscos de epidemia continuam muito elevados”, acrescentou o Presidente da República.

Dizendo estar “perfeitamente consciente” das “consequências gravosas que a continuação por mais 15 dias de quase toda a actividade económica acarreta para o nosso país e para o rendimento das famílias” e que as previsões “que as instituições internacionais estão a fazer da economia global e para Cabo Verde são muito más”, Jorge Carlos Fonseca avisou que “será bem pior se descurarmos o recurso mais importante e valioso que Cabo Verde sempre teve: as pessoas”.

Garantindo que este prolongamento do Estado de Emergência “não é tempo perdido”, o Chefe do Estado lembrou que a forma “como lidarmos com esta pandemia” e quanto menor for o número “de casos de doença que tivermos” vão ser um  factor que vai fazer a comunidade internacional encarar Cabo Verde com outro nível “de confiança” e essa confiança “na vida saudável da população atrai o investimento externo, reaviva o turismo, torna o nosso país um país de risco menor para voltar a ser visitado”.

A terminar, o Presidente da República deixou um apelo às autoridades para “prosseguirem e reforçarem, na medida das possibilidades existentes e dos recursos a mobilizar, as medidas de protecção aos trabalhadores incluindo os rurais, às empresas, e, muito especialmente, aos segmentos mais vulneráveis da população, com destaque para os idosos e os reclusos".

Veja na integra a declaração do Presidente da República:

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,16 abr 2020 15:38

Editado porAndre Amaral  em  24 jan 2021 23:21

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.