Coronavírus: O dia em revista

PorExpresso das Ilhas,2 abr 2020 19:25

As amostras dos casos suspeitos da Boa Vista (6) e de São Vicente (1) ainda não chegaram à Praia, o que tem mostrado uma falha logística e de resposta regional. Falha essa que está a ser resolvida com a reorganização logística e laboratorial, garante Director Nacional da Saúde.

Na habitual conferência diária sobre a COVID-19, Artur Correia anunciou que há mais dois casos suspeitos no país. Um na Boa Vista, outro na Praia.

Dos casos suspeitos que já foram analisados estava pendente a divulgação de um resultado, do Sal: deu negativo. Ao quinto dia sem casos positivos confirmados, o Director Nacional de Saúde, exorta no entanto, a que as pessoas "não baixem a guarda".

Falta, como referido, fazer ainda vários testes a casos suspeitos, devido a constrangimentos no transporte das amostras. Essa logística está em processo de reorganização, e prevê-se ainda que outras ilhas tenham, em breve, capacidade laboratorial para realização dos exames, evitando o envio para a capital.

Tem havido também uma diminuição progressiva dos casos em quarentena seja domiciliar seja nos hotéis, de cerca de mil pessoas em quarentenas a nível nacional, passamos para pouco mais de 529, essencialmente na Praia (351), Sal (166) e São Vicente (12).

Mais detalhes sobre o balanço de hoje aqui.

Quanto a outras notícias que marcaram o dia de hoje, dominam as medidas de apoio às empresas e cidadãos mais vulneráveis, neste momento de “apagão” económico. Assim, foi anunciada a criação de uma linha verde, 8005200 que já está a funcionar e vai dar assistência a "potenciais beneficiários" das medidas de protecção social recentemente anunciadas pelo governo. Tudo explicado aqui

O contexto é mau para todos, a vários níveis, incluindo nas receitas do Estado. Só em impostos, estima-se uma perda de 18 milhões de contos. Mas impõe-se, a par com a luta sanitária, salvar o que for possível da economia.

Ligando, então, as empresas às máquinas, para que sobrevivam até ao pós-pandemia, vão estar disponíveis a partir de segunda-feira, quatro linhas de crédito que os bancos comercias vão colocar à disposição do privado.

As linhas de crédito, no montante de quatro milhões de contos, terão a garantia do Estado, de entre 80 e 100%, o período de carência será de seis meses e o prazo de amortização entre cinco e seis anos. A taxa de juros será de 3%.

As medidas vão ao encontro das expectativas dos privados. Leia mais sobre este tema aqui.

Após o pedido das Sociedades que representam os artistas, de apoio aos profissionais do sector cultural, o Ministro da tutela, garantiu que o Governo está a preparar uma linha de apoio e de incentivo para o sector da cultura, com foco nos artesãos e músicos que residem no país e que vivem dos seus trabalhos.



COVID-19 no mundo

Burundi anunciou ontem os primeiros casos positivos para o coronovírus, aumentando para 49 o número de países africanos alvo da pandemia. Ontem, também, o Senegal e a República do Congo registaram as primeiras mortes causadas pela COVID-19. Hoje, a Zâmbia informou sobre a primeira morte no país.

São números que parecem dar razão à secretária executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para África, Vera Songwe, que alertou que o continente está a duas ou três semanas de “uma tempestade tão brutal” como a que atingiu a Espanha e Itália. E também a John Nkengasong que reviu as suas afirmações “Antes disse que era uma ameaça iminente para o continente, agora digo que é um desastre iminente“. (La Vanguardia)

Entretanto, nos EUA, a Casa Branca estima o coronavírus provoque entre 100.000 a 240.000 mortes no país. Mesmo no melhor cenário (100 mil), o coronavírus matará mais americanos do que a guerra do Vietname (58.000) e da Coreia (34.000) juntas e até 14 vezes mais do que a soma de vidas perdidas nas guerras do Iraque e do Afeganistão. Contas do El País. A pandemia também já tornou uma crise económica, tendo deixado, em apenas duas semanas pelo menos 10 milhões de americanos desempregados. Ainda nos EUA, agora de acordo com a Reuters, os democratas adiaram a convenção que estabelece o candidato presidencial para Agosto, devido à pandemia.

Números

A nível mundial chegamos a 1 milhão de infectados (911.578, ontem)... , 210.244 dos quais recuperados (190.921, ontem). O número de mortes, passou também a marca dos 50 mil, é de 51.375 (45.538, ontem).

(fonte:https://coronavirus.thebaselab.com/ às 18h20 de dia 02/04. 

O site apresenta um problema com o número de infectados.  

Provavelmente não estava configurado para um número 

tão grande, mas outras fontes confirmam-no)

Sugestão do Dia

A sugestão para esta quinta-feira é de leitura. Numa altura em que os níveis da poluição atmosférica têm baixado acentuadamente, deixando a expectativa que no meio desta crise provocada pelo SARS-CoV-2, alguma coisa positiva venha para o ambiente... as coisas não são assim tão lineares.

Neste artigo do Observador explica-se porque “Não, a pandemia não é boa para o ambiente. Mas pode deixar pistas para um futuro sustentável”.

Entre outras coisas, refere-se como "a história ensina que, após momentos de crise como este, a recuperação económica se faz com uma forte subida na produção, sacrificando preocupações ambientais". Mas também o aumento de produtos descartáveis usados no combate à pandemia.

E num registo mais gráfico (literalmente), um anúncio da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Portugal, que ilustra a importância de #FikaNaKaza. 

image

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,2 abr 2020 19:25

Editado porSara Almeida  em  5 jun 2020 23:20

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.