Coronavírus: O dia em revista

PorExpresso das Ilhas,9 abr 2020 18:16

Não há novidades sobre os casos suspeitos cujos resultados das análises estão pendentes. Mas aos oito suspeitos de ontem, juntaram-se hoje 11 novos casos. No total, e segundo os dados fornecidos nos balanços diários, há neste momento Cabo Verde 19 pessoas a fazer despiste.

Os novos casos anunciados hoje estão em:  São Vicente (8), Boa Vista (1), Fogo (1) e Cidade Velha (1). Tal como São Nicolau ontem, estas duas últimas localidades registam o primeiro suspeito.

Então, fazendo o somatório dos últimos dois dias, para tentar não perder o fio à meada: São Vicente (10), Boa Vista (6), Cidade Velha (1), São Nicolau (1), Fogo (1). Dezanove suspeitos em cinco ilhas. 

A estes juntam-se ainda os dois casos da Praia, referentes aos filhos do casal que foi diagnosticado com COVID-19, que tiveram resultado inconclusivo em dois testes realizados. Hoje, repetiu-se o teste, sendo que os resultados ainda não eram conhecidos à hora da conferência diária. 

Na diáspora, e segundo comunicado, com expressos votos de pesar, do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Comunidades registam-se  falecimentos ocorridos nas comunidades cabo-verdianas em França, 2, Holanda, 4, Portugal, 1, Espanha, 1, e nos Estados Unidos da América, 4.

Hoje, o chefe do governo e vários outros membros do executivo reuniram, em conferência virtual, com as autarquias do país. Uma das principais medidas saídas desse encontro foi a decisão governamental de estender as moratórias das prestações bancárias dos municípios, com o objectivo de libertar recursos que podem ser aplicados na luta contra a pandemia de COVID-19.

O porta-voz das conclusões do encontro, ministro-adjunto do Primeiro-ministro e da Integração Regional, Rui Figueiredo Soares, frisou ainda que “todos os municípios estão de acordo com a estratégia adoptada pelo governo, com as medidas tomadas em tempo oportuno e com a articulação que tem sido exemplar”. No início da sessão, já o presidente da Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV), Manuel de Pina, manifestara acordo com as medidas tomadas pelo poder central, numa intervenção onde registou o “esforço quase sobre-humano” do poder local  para cumprir aquilo que é na essência o seu principal papel, cuidar dos munícipes.

Na mesma ocasião, a Ministra da Inclusão Social, Maritza Rosabal, garantiu que a Linha Verde de apoio social, que arrancou com algumas dificuldades, já está a funcionar “muito bem” e recebe cerca de 1000 chamadas diárias.

Além de São Vicente e da Boa Vista, está em curso uma campanha de desinfecção também na Praia, completando assim a lista dos três locais de Cabo Verde que registaram, até dia 9, casos positivos de COVID-19.

Com as pessoas confinadas ao espaço doméstico, e portanto a um maior e intenso contacto e maior tensão entre os membros da família, é expectável que a VBG possa aumentar. Dados que chegaram à ONU mostram isso: duplicaram as chamadas para a linhas de ajuda no Líbano e na Malásia. Na China triplicaram. Na Austrália, os motores de busca registaram o maior volume de consultas para ajuda contra a violência doméstica dos últimos cinco anos. No Brasil, acrescentam outras fontes, mais concretamente no Rio de Janeiro houve um aumento de 50% de casos de violência doméstica durante este período de confinamento, que ainda está no início.

Embora esse aumento não tenha sido registado em todos os países - em Portugal, por exemplo, terá diminuído 26% (segundo os dados corrigidos), embora o que possa estar a ocorrer seja uma diminuição das queixas e não dos casos – são muitos que têm adoptado medidas extraordinárias, para passar esta fase de excepção ao nível mundial.

Em Cabo Verde ainda é prematuro avançar se há um aumento ou não da violência. Os dados estão a ser compilados, mas apontam para que não tenha havido um “grande aumento” da VBG, até agora, durante o isolamento. O ICIEG entretanto, tem várias medidas adicionais em curso, conforme conta a presidente do instituto, Rosana Almeida, ao Expresso das Ilhas. E acaba de ser lançada a campanha ““Bo Ka Sta Bó So”, como forma de combater a violência em tempos de isolamento. 

image

O ICIEG também aderiu à chamada “máscara 19” e a presidente do instituto explica: “Quem for à farmácia e pedir esta máscara, automaticamente, quem estiver a atender saberá que esta mulher está a ser vítima de violência e acciona a polícia. A máscara 19 é uma campanha que está a sair em todos os países”.

Essa campanha, a ‘mascarilla-19’ que está a ser replicada em todo o mundo foi iniciada, com sucesso, pelo Instituto Canário de Igualdade do Governo das Canárias.

Na música, o Festival “NaSofá” termina a 11 de Abril, mas vai continuar 'enfrentar' a actual pandemia em outros moldes. A organização lançou uma campanha solidária para ajudar os Hospitais de Cabo Verde, que vai angariar fundos durante um mês. Quem quiser contribuir pode fazê-lo aqui.

COVID-19 no Mundo

A crise de 2008 já não é o ponto de comparação com a crise COVID-19. Espera-se que o impacto seja bem superior do que a crise de há uma dúzia de anos, e o que se começa a configurar é, segundo a Organização Mundial do Comércio uma Grande Depressão semelhante há de 1929, e que se prolongou pelos anos seguintes. As previsões apontam que o comércio poderá diminuir até uns 'meros' 32%, com a OMC a advertir contra o proteccionismo ao estilo dos 30. (The Guardian)

Entretanto, o PIB dos países está a em derrocada. No primeiro trimestre de 2020, o PIB de França caiu 6%, o pior resultado desde a II Guerra Mundial. O PIB alemão cairá 4,2% e tudo aponta para uma queda de 10% no segundo trimestre. (El País)

Outro (velho tema). Sobre o dissenso das máscaras de protecção: o Centro Europeu para a Prevenção e controlo de Enfermidades emitiu um novo parecer em que considera que as máscaras “devem ser contempladas como uma medida complementar”. (El País)

Como forma de prevenção da COVID-19, vários países estão a libertar presos, como forma de travar o coronavírus. Portugal, por exemplo, é um dos países onde se prevê a libertação de cerca 2000 presos. Hoje também a Nigéria anunciou a libertação de 2600 reclusos para reduzir a sobrelotação das prisões do país. Serão perdoados reclusos com 60 anos ou mais, com problemas respiratórios que podem resultar na morte, com seis meses para terminar uma sentença igual ou superior a três anos, com problemas de saúde mental e com uma fiança inferior a 50 mil nairas nigerianas. A Nigéria, país mais populoso de África (200 milhões) regista seis mortes até ao momento. (Público)

Números

Ao fim da tarde desta quinta-feira, contabilizavam-se 1.576.496 casos de infecção em todo o mundo (1.430.919, ontem), 348.188 dos quais recuperados (301.905, ontem). O número de mortes é 93.575 (82.034, ontem).

(fonte: https://coronavirus.thebaselab.com/ às 17h30 de dia 09/04)

Sugestão do dia

A Sugestão de hoje é um trabalho do The Guardian. Uma cronologia sobre os “100 dias que mudaram o mundo”. (O centésimo dia cumpre-se hoje)

Só a entrada, de duas frases apenas, já abre o apetite:

“Começou com um aviso. Tornou-se uma pandemia que transformou a vida tal como a conhecemos.”

image

Anteriores:

16/03/2020 | 17/03/2020 | 18/03/2020 | 19/03/2020 | 20/03/2020 | 21/03/2020 | 22/03/2020 | 23/03/2020 | 24/03/2020 | 25/03/2020 | 26/03/2020 | 27/03/2020 | 28/03/2020 | 29/03/2020 | 30/03/2020 | 31/03/2020 | 01/04/2020 | 02/04/2020 | 03/04/2020 | 04/04/2020 | 05/04/2020 | 06/04/2020 | 07/04/202008/04/2020

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,9 abr 2020 18:16

Editado porAndre Amaral  em  3 jun 2020 23:20

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.