​“Reafirmamos que, de facto, a tendência é partidarizar” - MpD

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,26 mar 2018 11:43

1

O MpD acusa o PAICV de partidarizar a situação do desaparecimento de pessoas em Cabo Verde. A posição surgiu na sequência de uma intervenção, hoje, no Parlamento, feita pela deputada do PAICV Ana Paula Moeda, sobre os casos de desaparecimentos de crianças.

O partido no poder, através da deputada Filomena Gonçalves, diz que o maior partido da oposição está a politizar a situação.

“Reafirmamos que, de facto, a tendência é partidarizar e avanço com exemplos: na semana passada, o país ouviu, em primeira-mão, o anúncio de mais um caso de desaparecimento e assistiu à presidente do partido [PAICV] a falar que tinha desaparecido mais uma pessoa. Entretanto, quando a adolescente apareceu ouvimos silêncio total. Isso não é partidarização?”, questiona.

“A matéria é tão sensível e não deve ser partidarizada”, acrescenta.

O PAICV reagiu de imediato, ao abrigo do 114. A parlamentar Ana Paula Moeda fala em tentativa de silenciamento do seu partido.

“Eu queria manifestar o meu desagrado e o facto de eu me ter sentido ofendida, porque todas as vezes que a gente toca na questão (...) vocês vêm com questões que se prendem com a politização. Reparem, todas as desgraças, algum problema mais crítico que acontece na sociedade, nós não podemos aqui falar. Querem silenciar-nos. Ninguém nos silencia”, diz.

A UCID pede ao Governo que crie condições para que situações de desaparecimento de pessoas não se repitam. O deputado António Monteiro diz que o caso é grave.

“Lançamos um apelo ao Governo para que crie as condições, e se nós não tivermos condições internas, para que procure nos nossos parceiros as condições necessárias para o efeito. Vamos agir com serenidade, pois o caso é grave”, defende.

A intervenção dos parlamentares foi feita esta manhã, no arranque da sessão parlamentar de Março, durante o período antes da ordem do dia.

Recorde-se que, desde Novembro, três crianças desapareceram de bairros periféricos da cidade da Praia. Duas crianças, de 11 e 9 anos, estão com paradeiro desconhecido desde 3 de Fevereiro. Edvanea Gonçalves, de 10 anos, residente no bairro Eugénio Lima, está desaparecida desde Novembro do ano passado.

Há ainda o caso de uma jovem de 19 anos que terá desaparecido de casa com um bebé recém-nascido, em Agosto de 2017, também na capital.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,26 mar 2018 11:43

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  25 set 2018 3:22

1

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.