Conselho de administração do INE passará a ser nomeado mediante audição parlamentar

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,18 jan 2019 15:07

​A nomeação dos membros do conselho de administração do INE mediante audição parlamentar é uma das medidas anunciadas hoje, pelo Governo, no Parlamento, no âmbito da discussão do projecto lei que estabelece os princípios e normas do sistema estatístico nacional.

As linhas gerais do diploma foram apresentadas pelo vice-Primeiro Ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, na discussão do documento na generalidade.

“Queremos a nomeação efectiva do conselho de administração e do conselho fiscal, queremos um funcionamento efectivo do Conselho Nacional de Estatísticas, que os membros do conselho de administração do INE e o Conselho Nacional de Estatística passem a ser nomeados mediante audição prévia parlamentar e aqueles que exercem funções executivas não podem acumular com qualquer outro cargo, quer dentro ou fora da instituição. Queremos que o conselho fiscal passa também a ser nomeado pelo governo mediante audição parlamentar. O governo entende que o Conselho Nacional de Estatísticas, que é um órgão muito importante, e que superintende o sistema, deve ter as condições adequadas para zelar pela oferta, qualidade, tempestividade das estatísticas oficiais, fundamentais para suportar as decisões das autoridades nacionais bem como dos demais utilizadores públicos e privados”, indica.

O governante destaca a importância da informação estatística no desenho das políticas públicas e anuncia por isso que o projecto de lei exige a publicação, por parte do INE, do calendário de divulgação dos dados estatísticos.

"Todos os cabo-verdianos, empresas e particulares, devem saber qual é o calendário exacto de publicação de cada informação estatística relevante e quando houver atrasos na publicação de uma ou outra informação, o INE é obrigado a vir a público explicar. Tem que haver uma transparência em relação às datas, aos prazos e aos timmings para produção de qualquer informação estatística relevante, produzida e publicada pelo INE. Mas também queremos fortalecer os poderes coercitivo da autoridade estatística, porque todos nós somos obrigados a contribuir e a colaborar para que tenhamos dados de qualidade, em tempo certo, fiável e oportuno”, assegura.

O governo quer alargar o Conselho Nacional de Estatísticas, integrando no órgão a Comissão Nacional de Protecção de Dados, para salvaguarda das informações individuais.

A criação de um fundo nacional para o desenvolvimento das estatísticas é outra proposta da tutela.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,18 jan 2019 15:07

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 ago 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.