Grandes câmaras saíram divididas das últimas eleições

PorSheilla Ribeiro,15 nov 2020 7:18

Se em tempos a vitória nas eleições autárquicas em Cabo Verde abria alas para um eventual sucesso nas legislativas subsequentes, desta vez os partidos políticos levam as mãos à cabeça. Pois os resultados mostram que está tudo dividido, podendo a bola cair de um lado ou de outro. O certo é que o MpD venceu na maioria dos concelhos, 14, e o PAICV recuperou vencendo mais 6, quando tinha apenas 2. Mas as três maiores câmaras, Praia, São Vicente e Santa Catarina, saíram partilhadas das eleições de 25 de Outubro. Assim quis o povo.

Na capital do País, segundo os dados já publicados no Boletim Oficial, o PAICV elegeu a maioria dos vereadores, cinco. Mas o MpD conseguiu quatro vereadores, entre eles o até então presidente da Câmara Municipal, Óscar Santos.

Em Santa Catarina de Santiago, Beto Alves, presidente reeleito na lista do MpD, terá ainda companhia de outros quatro vereadores não eleitos na sua lista, ou seja, antigos concorrentes na sua corrida ao segundo mandato à frente desta grande câmara de Santiago Norte. Além dos três vereadores do PAICV, Alves dividirá a vereação com Félix Cardoso, o candidato da lista independente “Santa Catarina Acima de Tudo”.

Por seu turno, Augusto Neves, que preside a Câmara Municipal de São Vicente desde 2012, vai neste mandato dividir a vereação com três vereadores eleitos pela lista da UCID e dois do PAICV. Em caso de um “casamento” entre o PAICV e a UCID, Neves estará em minoria.

Assembleias Municipais

Relativamente às Assem­bleias Municipais em São Vicente, o MpD elegeu 9 deputados, MIMS um, UCID 7 e PAICV quatro. Sendo assim, na Assembleia Municipal o MpD tem 9 eleitos, contra 12 da oposição, quando juntados todos os concorrentes.

Na Boa Vista, o PP elegeu três deputados, MpD cinco e PAICV cinco. Para o PAICV, vencedor da eleição naquele município, poder governar tranquilamente terá de estabelecer um acordo com um dos partidos que elegeu deputados à assembleia municipal. Caso contrário o MpD e o PP podem estabelecer uma maioria na assembleia municipal.

Já na Praia, o MpD elegeu 10 deputados e o PAICV 11. Em Ribeira Grande de Santiago, o MpD elegeu seis deputados enquanto o PAICV elegeu sete.

Por sua vez, em São Lourenço dos Órgãos foram eleitos sete deputados do MpD e seis do PAICV. O mesmo acontece em São Salvador do Mundo, onde o MpD elegeu sete deputados e o PAICV seis.

No Tarrafal de Santiago, o PAICV elegeu nove deputados, o MpD sete e o MIT, um. Já em São Filipe, o PAICV elegeu nove, enquanto o MpD elegeu oito.

Em Santa Catarina do Fogo, o MpD elegeu sete e o PAICV seis, assim como na Brava. Em Santa Catarina de Santiago, o MpD elegeu 11 deputados, PAICV oito e SAT dois.

Números e percentagens

De acordo com o órgão superior da administração eleitoral, o Movimento para a Democracia (MpD) conseguiu 92.147 votos, o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) obteve 76.327 votos e a União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) conseguiu 10.886 votos. O Partido Popular (PP) conseguiu 408 votos.

No total, os grupos independentes atingiram cerca de 9 mil votos, com destaque para o Movimento Independente Mas Soncent (MIMS) com 2.357 votos, equivalentes a 7,9% dos votos.

Já o grupo independente Alternativa Ribeira Grande (ARG), em Santo Antão alcançou 1.719 votos, representando 19,3%.

Em São Nicolau, o Grupo Independente para o Desenvolvimento do Tarrafal (GRIDT) conseguiu 19,7%, com 2.398 votos.

O Ami E São Domingos (AMISD) obteve 5% dos votos. No Tarrafal de Santiago os dois independentes conseguiram 12% dos votos, o Movimento Independente Tarrafal (MIT) conseguiu 9,1% dos votos, enquanto o Unidos por Tarrafal (UT) teve 2,9%.

Em Santa Catarina de Santiago, o grupo independente Santa Catarina Acima de Tudo (SAT) com 1.855 votos, conseguiu um total de 11,7% dos votos. A Sociedade em Acção para a Liberdade (SAL), com 1.032 votos, conquistou 13,3% dos votos.

Na Praia, a Liderança, União, Trabalho e Amor (LUTA) com 790 votos, atingiu 2,3% e a Liga da Sociedade Civil da Praia (LSCP) com 753 votos, conseguiu 2,1% dos votos. O MJT, com 451 votos teve 1,2% dos votos, enquanto o Dja Sta Bom (DSB), com 221 votos, teve 0,6%. O total dos independentes da capital soma 6,2%.

A nível nacional, 58,4% dos inscritos nos cadernos eleitorais votaram, enquanto a taxa de abstenção se situou em 41,60%. A maior abstenção registou-se no município da Praia, onde 55,6% dos eleitores se abstiveram. Em contrapartida, Santa Catarina do Fogo registou a menor abstenção, com 26,1%. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 989 de 11 de Novembro de 2020.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,15 nov 2020 7:18

Editado porFretson Rocha  em  26 nov 2020 19:19

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.