​Oposição pede mais investimento no digital. MpD aponta desafio de posicionar Cabo Verde como hub digital em África

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,17 dez 2021 11:59

O PAICV considera que os sucessivos governos fizeram, ao longo dos anos, progressos assinaláveis no domínio digital. Mas o partido defende que é preciso fazer mais, nomeadamente no que diz respeito à promoção da implantação de redes de banda larga, melhorar a oferta de serviços digitais, estimular o desenvolvimento de serviços, produtos e aplicações inovadoras e promover a inclusão digital.

Na sua intervenção inicial no debate sobre a “Transformação Digital e Economia Digital em Cabo Verde”, o líder da bancada do maior partido da oposição, João Baptista Pereira, pediu mais aposta do digital nos sectores da educação e saúde.

“Avançamos significativamente a nível da digitalização na Administração Pública aqui em Cabo Verde. Informatizaram-se os registos civis, a segurança social, o sistema de transporte rodoviário, o sistema eleitoral, entre outros, que indubitavelmente veio prestar maior credibilidade ao processo eleitoral cabo-verdiano. Contudo falta neste momento audácia para darmos o salto seguinte. Torna-se necessário a substituição do atendimento pessoal pelo atendimento digital, precisamos aproveitar a transição tecnológica para fazer evoluir o sistema de saúde em Cabo Verde através da codificação internacional das doenças e da capitalização das teleconsultas. O mesmo deve suceder no sector da educação. A pandemia da COVID-19 demonstrou que é possível o ensino à distância em Cabo Verde”, aponta.

Do lado do MpD, o líder de bancada, João Gomes, diz que é grande o desafio do Governo em posicionar Cabo Verde como um hub digital em África. Mas realça que o executivo liderado por Ulisses Correia e Silva está a criar todas as condições para o desenvolvimento do mercado, com investimentos em novas infraestruturas de telecomunicações, da internet e conectividade.

“A transformação digital de Cabo Verde é condição sine qua non que permite acelerar o crescimento económico e o desenvolvimento sustentável, aumentar a contribuição da economia digital de 6% para 25%, crescer e desenvolver o mercado das telecomunicações através do aumento do número de usuários e do hub internacional de cabos submarinos na região”, diz.

A UCID, pela voz do deputado António Monteiro, entende que Cabo Verde está no bom caminho a nível da transformação digital e economia digital, mas diz que é preciso acelerar.

“Precisamos abrir espaços para que as pessoas capacitadas encontrem, em Cabo Verde, um bom lugar para poderem trabalhar e para poderem ajudar-nos a desenvolver a economia digital e, consequentemente, podermos criar mais riqueza em Cabo Verde e ultrapassarmos essa lentidão que temos nas tecnologias. Para isso, é importante que haja leis neste sentido”, entende.

A “Transformação Digital e Economia Digital em Cabo Verde” está hoje em debate na casa parlamentar.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,17 dez 2021 11:59

Editado porAndre Amaral  em  17 set 2022 23:28

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.