​SINDEP com reservas quanto ao "bom arranque" do novo ano lectivo

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,12 ago 2019 11:58

O Sindicato Nacional dos Professores (SINDEP) manifesta alguma reserva em relação ao início do ano lectivo sem sobressaltos, conforme prometido na semana passada pela ministra da Educação. A colocação dos professores e a disponibilização dos manuais antes do novo ano escolar são considerados essenciais.

O vice-presidente do sindicato, Jorge Cardoso, conforme declarou em entrevista à Rádio Morabeza, espera que este ano a situação seja diferente do ano lectivo anterior, marcado pela falta de professores do Ensino Secundário, em algumas localidades.

“Esperamos que este ano lectivo seja melhor preparado. Temos algumas reservas, porque a prova de conhecimento que deveria acontecer no dia 10 de Julho só aconteceu a 19, e não conhecemos a razão. Mas esperamos que, de facto, o Ministério da Educação passe a fazer melhor a programação para o arranque do ano lectivo”, diz.

O Ministério da Educação recordou nos últimos dias que o processo de contratação de professores iniciou-se este ano mais cedo. Por isso, no início de Setembro, os docentes vão estar colocados nos respectivos concelhos. Relativamente aos manuais, a ministra da Educação avança que a maior parte dos cerca de 40 livros escolares já estão a ser impressos.

O líder do SINDEP dá o benefício da dúvida à tutela.

“Nós temos razões para colocar algumas reservas porque sempre que se questiona a questão dos manuais, eles (o Ministério da Educação) aparecem a dizer que os manuais estão disponíveis. Não acreditamos nisso, devido às várias afirmações falsas que foram feitas durante os últimos anos”, afirma.

Do lado dos professores, Jorge Cardoso lembra que há muitas situações pendentes por resolver, nomeadamente subsídios pela não redução da carga horária aos professores do ensino básico e reclassificações desde 2015.

O Sindicato Nacional dos Professores não acredita nas promessas.

“Disseram-nos, no último encontro que tive com o director-geral e o director de recursos humanos, que [as reclassificações] de 2015 seriam feitas ainda este ano, mas que as de 2016 a 2019 serão com o orçamento de 2020. Não acreditamos, porque os subsídios pela não redução da carga horária, relativamente a 2012 e 2013, estavam orçamentados no ano de 2018, mas não fizeram e já estamos em 2019. Portanto, nós duvidamos muito daquilo que os nossos governantes dizem”, entende.

Ministério da Educação prepara início de ano lectivo (desta vez) sem sobressaltos

Aprendemos com os erros, reconhece a Ministra da Educação, Maritza Rosabal, que garante estar tudo a ser preparado para que o ano lectivo 2019/2020 arranque sem qualquer constrangimento. A lista de docentes deverá ser conhecida na próxima semana e a maior parte dos manuais já está em processo de impressão, avançou a governante no final do II Conselho Alargado do ME.

Para o SINDEP, um bom arranque do ano lectivo terá que começar com preparações metodológicas em todas as escolas do país e com todos os professores, em todas as disciplinas.

O ano lectivo 2019/2020 arranca a 1 de Setembro. As aulas vão arrancar no dia 23. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,12 ago 2019 11:58

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  12 dez 2019 23:21

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.