PAICV, MpD e UCID apresentam perspectivas distintas sobre o estado da Nação.

PorSheilla Ribeiro,29 jul 2023 6:16

O PAICV considera que o país não está bem e ressaltou os impactos desoladores de anos de seca, que reduziram a produção agropecuária e afectaram o rendimento das famílias, juntamente com a escalada dos preços dos alimentos e energia. Por outro lado, o líder parlamentar do MpD, Paulo Veiga, enfatizou a importância do momento para o país e reforçou o compromisso de trabalhar por um futuro mais próspero e inclusivo para todos os cabo-verdianos. Enquanto isso, a UCID destacou a desigualdade social no país e pediu uma melhor distribuição de recursos para ajudar as famílias mais vulneráveis.

Durante a sua declaração no debate sobre o estado da Nação, hoje, o líder parlamentar do PAICV, João Baptista Pereira, afirmou que Cabo Verde “não está bem" e enfatizou a difícil situação que os cabo-verdianos estão enfrentando.

"Os cabo-verdianos estão a passar por momentos muito difíceis. O quadro desolador gerado por vários anos de seca, que causaram uma forte redução da produção agropecuária e do rendimento das famílias, particularmente no mundo rural, acompanhado da escalada de preços dos bens alimentares e energia, estão a deixar marcas profundas na sociedade e na vida das famílias cabo-verdianas", referiu

O PAICV ressaltou que o ano de 2022 foi marcado pela situação de calamidade devido à seca e maus resultados no sector agrícola e destacou a preocupação com a inflação crescente e os impactos nos itens essenciais.

"Na verdade, de 2018 a Dezembro de 2022, o Índice Geral de Preços (IPC) aumentou cerca de 15%. Quando analisado de forma desagregada, a situação torna-se mais preocupante, porquanto os aumentos verificados nos itens essenciais foram ainda maiores", mencionou.

João Baptista Pereira alertou para os riscos do cenário macroeconómico traçado pelo Governo e a exposição de Cabo Verde às consequências económicas da guerra na Europa.

"Tal alerta deriva do facto de Cabo Verde, como pequena economia aberta, estar exposta às consequências económicas da guerra na Europa, que continuam a manifestar-se no preço dos bens energéticos e alimentares, bem como pelos efeitos adversos na inflação e crescimento das economias dos seus principais parceiros comerciais".

O PAICV criticou a falta de acção efectiva do Governo em proteger os rendimentos das famílias. Também apontou para a queda no número de empregados em Cabo Verde e a elevada taxa de desemprego entre os jovens.

"Para agravar a situação, o número de empregados em Cabo Verde caiu de 209.725, em 2016, para 178.016 empregados, em 2022. Ou seja, a Nação registou uma perda de mais 31.709 empregos nesta governação. A taxa de desemprego nos jovens é elevada, sendo que entre o grupo etário de 15 a 35 anos atinge 17,2%. Estima-se em 51.654, ou seja, 29,2%, o número de jovens que estão fora da educação, emprego ou formação (NEET)."

Além disso, João Baptista Pereira destacou a preocupação com a situação da dívida pública de Cabo Verde e abordou as questões relacionadas com os sectores da educação, transporte, segurança e agricultura, criticando a gestão do Governo nessas áreas.

MpD

Durante o debate sobre o estado da Nação, o líder parlamentar MpD, Paulo Veiga, destacou a importância desse momento para o país e reforçou o compromisso de trabalhar por um futuro mais próspero e inclusivo para todos os cabo-verdianos.

"Hoje, temos a oportunidade de debater questões cruciais sobre o bem-estar do nosso país, pois é nosso dever, enquanto representantes do povo, unir forças e trabalhar em prol de um futuro mais próspero e inclusivo para todos os cabo-verdiano”, afirmou.

O líder do MpD enfatizou os esforços do Governo liderado por Ulisses Correia e Silva, que resultaram em conquistas significativas em diversas áreas, incluindo economia, educação, saúde, emprego e meio ambiente.

Veiga elogiou as medidas de políticas orientadas adoptadas para enfrentar os desafios emergentes e ressaltou o trabalho árduo do Governo para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Além disso, o líder do MpD enfatizou o compromisso do Governo com a segurança interna e o combate à criminalidade, destacando as melhorias significativas alcançadas nessa área. Também abordou o sector agrícola, destacando os esforços para aumentar a produção agrícola e garantir a diversificação das fontes de água para enfrentar os desafios da seca.

Paulo Veiga reconheceu os desafios enfrentados pelo país no contexto pós-pandemia, com a crise energética e a inflação em alta.

No entanto, reforçou a determinação do Governo em enfrentar esses desafios, comprometendo-se a buscar soluções eficazes e a construir um futuro melhor para todos os cabo-verdianos.

UCID

Durante o discurso no parlamento sobre o Estado da Nação, a UCID destacou a desigualdade social no país.

“Falar sobre o Estado da nação em dois minutos e 30 segundos é obra. Alguns têm tempo de sobra para se expressar, outros são limitados. Essa situação reflecte as desigualdades no país, onde, alguns têm muitos recursos e oportunidades, enquanto outros enfrentam dificuldades e escassez. "A fotografia deste país é esta: alguns têm demasiado e outros não têm absolutamente nada", afirmou António Monteiro.

A UCID enfatizou a necessidade de uma melhor atenção na distribuição de recursos, especialmente para as famílias mais vulneráveis.

Citando estatísticas, o deputado disse que que cerca de 28,8% da população cabo-verdiana, isto é, mais de 1/5 da população, vive em situações difíceis e caberá ao Governo criar as condições para ajudar estas pessoas."

Além disso, a UCID criticou o Governo por não conseguir garantir que as pessoas em dificuldades tenham acesso aos recursos necessários durante a pandemia, apesar da redução da dívida pública.

O partido pediu ao Primeiro-Ministro para reflectir sobre a situação e prestar mais atenção à distribuição de recursos e aos cuidados para as famílias mais vulneráveis no país. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,29 jul 2023 6:16

Editado porFretson Rocha  em  14 abr 2024 23:27

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.