Governo defende sucesso das políticas de emprego. Oposição não acredita

O Governo reafirma que está no caminho certo no que respeita às políticas direccionadas para a juventude e fala no aumento da empregabilidade resultado das políticas de emprego, formação e estágios profissionais.

Esta posição foi expressa ontem, no arranque do debate parlamentar com o primeiro-ministro sobre “Juventude, Qualificação e Emprego”. Ulisses Correia e Silva realça o alargamento do investimento nos jovens.

“As políticas de emprego estão a aumentar a empregabilidade através da massificação da formação profissional, reconversão profissional e estágios profissionais. Aumentamos três vezes mais o investimento para a subsidiação da formação profissional, investimos para entregar aos jovens 2500 certificados que estavam retidos por falta de pagamento de propinas relativos aos anos 2011 a 2015. Aumentamos o número de beneficiados da formação profissional na Escola de Hotelaria e Turismo, no IEFP e no CERMI de 3616 em 2016 para 5082 de Janeiro a Setembro de 2019. Aumentamos a cobertura regional de oferta de formação profissional de jovens em todos os concelhos do país, investimos 12 vezes mais nos estágios profissionais do que em 2015. 26 mil contos em 2015 para 318 mil em 2019”, explicou o primeiro-ministro.

Em 2021, o governante pretende reduzir para 20 mil o número de jovens sem Emprego, sem Educação e sem Formação, correspondendo a 10% do total dos jovens do país.

Ulisses Correia e Silva diz que o seu Governo aumentou oito vezes o número de beneficiários em formação de empreendedorismo, e três vezes o número de beneficiários de kits de auto-emprego.

O chefe do Governo refere que estas medidas têm tido impacto positivo.

“Estas medidas têm tido impacto no emprego e vão continuar a ter de forma reforçada. 80% dos jovens formados na EHTCV conseguiram emprego, 77% formados nos programas de emprego e empreendedorismo conseguiram emprego e auto-emprego. 60% dos jovens licenciados conseguiram emprego através de estágios profissionais. Políticas de formação, estímulo e incentivo ao empreendedorismo estão a ter resultados positivos no número de projectos de empresas criadas. 116 projectos financiados correspondentes a 950 mil contos no quadro do protocolo celebrado com os bancos para o ecossistema de financiamento, dos quais 35 projectos de start up jovem com financiamento de 88 mil contos”.

O PAICV considera que chegou a hora de o executivo substituir anúncios por balanços. O maior partido da oposição, pela voz da deputada Janira Hopffer Almada, fala de quatro anos de marketing e publicidade, e uma juventude defraudada.

“O que assistimos nestes quatro anos de governação do MpD foi uma política estribada no marketing e na publicidade. Foi anunciado o ecossistema de financiamento da economia, mas não é apontado um único projecto que tenha sido financiado nem o valor que foi desembolsado. São feitos fóruns de investimento em que são anunciados projectos que nunca mais arrancam. E o problema do financiamento do sector privado continua a subsistir com o Doing Business a demonstrá-lo com uma queda de 10 posições e com Cabo Verde a perder competitividade no turismo com a queda de cinco posições. Já entramos na última parte desta governação sem resultados e perante uma juventude desiludida e defraudada pelas expectativas que o governo criou”, acusou Janira Hopffer Almada.

Na mesma linha, a UCID fala apenas em anúncios do Governo de Ulisses Correia e Silva. O parlamentar António Monteiro diz que a juventude continua a espera das oportunidades que tardam em chegar.

“A juventude espera por mais oportunidades de emprego. Pedimos ao governo para fazer os anúncios coincidirem com aquilo que acontece na prática, porque os jovens da Assomada, Tarrafal, Mindelo, Ribeira Grande de Santo Antão, do Maio, da Brava, da Boa Vista estão à espera, efectivamente, de uma oportunidade. E esta tarda em chegar”.

Já o MpD, através do seu líder parlamentar, Rui Figueiredo Soares, considera que as políticas para a juventude têm sido eficazes.

O governo resolveu a situação de mais de 2500 jovens que tinham os diplomas retidos em instituições de ensino superior e mais ainda de formação profissional permitindo aos mesmos aceder ao mercado de trabalho. No que toca aos beneficiários de formação profissional, os números têm estado, de 2016 a 2019, a aumentar gradativamente. Este ano, até Setembro, já foram contemplados 5082 jovens, o que atesta a eficácia das nossas políticas no tema em debate.

A segunda sessão parlamentar do mês de Novembro teve início ontem e termina na sexta-feira.

Em destaque a discussão e votação da Proposta de Lei que aprova o Orçamento do Estado para o ano económico de 2020.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Rádio Morabeza, Expresso das Ilhas,28 nov 2019 9:49

Editado porSara Almeida  em  15 dez 2019 17:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.