Coronavírus: O dia em revista

PorSara Almeida,17 abr 2020 18:52

Dia marcado pelo anúncio de mais um caso positivo diagnosticado na capital do país. Sobre a fonte de contágio do doente, de 43 anos, a resposta das autoridades é que as investigações ainda decorrem. Há trinta contactos em isolamento.

Ministério da Saúde e da Segurança Social anunciou na manhã de hoje, o aparecimento de mais um caso confirmado de COVID-19, na cidade da Praia. Trata-se de um homem de 43 anos, de nacionalidade cabo-verdiana e residente em Ponta d´Agua, bairro vizinho de São Filipe (onde foram diagnosticados os outros três casos positivos da Praia).

Ainda não é conhecida a origem da infecção e o paciente está isolado no hospital Agostinho Neto com um quadro de infecção respiratória moderada. 

Sobre novos casos suspeitos, disse hoje o director nacional da Saúde que há dois novos na Praia, um em São Vicente, cuja amostra chegou hoje à Praia e está a ser examinada” e foram detectados ainda mais três casos suspeitos na Boa Vista. Relativamente aos já anunciados casos suspeitos de Santa Catarina “dois testes deram negativo e um dos testes vai ser repetido”.

Cabo Verde regista assim, até ao momento, 56 casos positivos da COVID -19, 51 na Boa Vista, quatro na cidade da Praia e um em São Vicente. Na estatística há ainda um óbito (de um turista inglês, primeiro caso que surgiu no país) e um recuperado (o primeiro caso que foi diagnosticado na Praia).

O caso da Praia desviou hoje (mas só um pouco) a atenção da Boa Vista. Contudo, o anúncio ontem feito pelo Primeiro-ministro, na visita relâmpago à ilha, de que está a ser montado um programa excepcional de regresso dos cidadãos às suas ilhas de residência criou alguma polémica. A medida, que já tinha sido avançada pelo Ministro da Saúde, destina-se exclusivamente a essas situações e a residência habitual tem de ser convenientemente comprovada.

Hoje foi também dia de sessão plenária extraordinária. No seu discurso, Ulisses Correia e Silva, revelou que serão levantadas algumas das restrições em vigor com o Estado de Emergência. Voos interilhas e internacionais vão manter-se suspensos num futuro mais próximo, disse ainda.

União Europeia (UE) vai apoiar Cabo Verde, com 551 mil contos destinados aos programas de assistência social à população mais vulnerável.

O Ministério da Educação ainda tem esperança de que as escolas (pelo menos as das ilhas não afectadas) possam abrir em Maio, mas o que já é certo é, pelo menos por enquanto e para não perderem o contacto com o meio escolar, que serão transmitidos programas de ensino-aprendizagem através da rádio e televisão.

As escolas também já organizaram para o levantamento sobre as condições dos alunos, nomeadamente o acesso à electricidade, à internet, à televisão e à rádio.

O SINDEP reitera que o ensino a distância é impraticável em Cabo Verde, pois exige condições humanas e materiais escassas no país. 

Entretanto as Universidades também estão a adaptar-se à educação em tempo de confinamento. A Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) vai continuar a apostar no ensino a distância até o dia 02 de Maio, intensificando o recurso à plataforma ‘Moodle’. Com o apoio das operadoras de telecomunicações, a Uni-CV conseguiu obter alguns megas de Internet para uso próprio e também contemplou 400 estudantes, para que pudessem aceder ao material pedagógico, disse a reitora.

A Universidade Jean Piaget de Cabo Verde (UniPiaget) anunciou também que a partir do dia 20 inicia aulas ‘online’ para todas as unidades curriculares. Nesta universidade, segundo o Reitor, são poucos os estudantes que não têm acesso à internet e, além disso, também aqui, as operadoras de telecomunicações disponibilizaram megas para os alunos.

Na Universidade de Santiago estão a ser retomados contactos e distribuídas tarefas e actividades aos alunos. Ao mesmo tempo, mede-se a receptividade dos alunos, a sua capacidade de resposta tecnológica e também de acesso à Internet, para ver soluções. A US, garante o director de Serviços Académicos, tem as plataformas digitais necessárias criadas, mas ensino a distância não se faz de um dia para outro e há certas práticas que “têm de ser mudadas”, salvaguarda.

COVID-19 no Mundo

Mais de metade da população mundial está confinada em casa. O balanço é da AFP, e refere que as pessoas que cumprem medidas de confinamento estão distribuídas em 110 países ou territórios. As populações em questão representavam esta sexta-feira cerca de 58% da população mundial actual, estimada pelas Nações Unidas em cerca de 7,8 mil milhões de pessoas. (Público)

O combate ao coronavírus na Coreia do Sul tem sido, relativamente, bem-sucedido. Mas um dado preocupante tem surgido no país. Conforme informou Seul, esta semana, pelo menos 116 pessoas inicialmente consideradas recuperadas voltaram a apresentar resultados positivos. As autoridades sanitárias ainda estão a investigar as “recaídas, e Jeong Eun-kyeong, director dos Centros Coreanos de Controlo e Prevenção de Doenças (KCDC), diz acreditar, citado pela Reuters, que o vírus pode ter sido reactivado e não que os doentes estejam a ser reinfectados.

Na verdade ainda ninguém sabe porque isto acontece e como funciona a imunidade ao vírus. A (in)eficácia dos testes também é uma hipótese em aberto. Espanha está a registar também algo preocupante, com vários pacientes, com sintomas, a testarem negativo na principal prova diagnóstica, a PCR. 

Não se sabe, na verdade, quais as possibilidades de ser reinfectado, nem quanto tempo dura a suposta imunidade. Outros coronavírus , SARS1, de 2002, e MERS, de 2012, mostram imunidade por dois e três anos, respectivamente.(El País)

Mais um “escândalo” relacionados com testes comprados na China. O NYT relata que o Reino Unido pagou 20 milhões de dólares por dois milhões de kits de testes caseiros para detectar anticorpos para o coronavírus. Os testes - simples como um teste de gravidez, segundo o primeiro ministro, Boris Johnson - afinal não são precisos e foram abandonados... (NYT)

Números

Ao fim da tarde desta quinta-feira, contabilizavam-se 2.145.512 casos de infecção em todo o mundo (2.049.849, ontem), 543.280 dos quais recuperados (507.782, ontem). O número de mortes é de 143.308 (132.835, ontem).

(fonte: https://coronavirus.thebaselab.com/ às 18h35 de dia 17/04)

Sugestão do dia

Jair Bolsonaro despediu o ministro da Saúde, em meio da pandemia, e por este estar a seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde (com as quais o presidente brasileiro, não concorda).

O que aconteceu foi mais ou menos como isto, considera o cartoonista Alberto Benett:

image

Este também é interessante:

image

Anteriores:

16/03/2020 | 17/03/2020 | 18/03/2020 | 19/03/2020 | 20/03/2020 | 21/03/2020 | 22/03/2020 | 23/03/2020 | 24/03/2020 | 25/03/2020 | 26/03/2020 | 27/03/2020 | 28/03/2020 | 29/03/2020 | 30/03/2020 | 31/03/2020 | 01/04/2020 | 02/04/2020 | 03/04/2020 | 04/04/2020 | 05/04/2020 | 06/04/2020 | 07/04/2020 | 08/04/2020 | 09/04/2020 | 10/04/2020 | 11/04/2020 | 12/04/2020 | 13/04/2020 | 14/04/2020 | 15/04/2020 16/04/2020

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sara Almeida,17 abr 2020 18:52

Editado porSara Almeida  em  31 mai 2020 5:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.